Voltar ao topo

17 de julho de 2024

Ceará conquista tricampeonato da Copa do Nordeste e embolsa premiação milionária

Apesar de jogo ruim do Vovô, o título vem para "dar confiança" ao restante da temporada, como disse o técnico Barroca; com a conquista, o Alvinegro soma premiação financeira de R$ 6,4 milhões na Copa do Nordeste
Jogadores do Ceará comemoram a conquista da Copa do Nordeste. Volante Richardson e zagueiro e capitão Luiz Otávio, ídolos do Vovô, seguram a taça. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Compartilhar:

O Ceará foi campeão da Copa do Nordeste ao derrotar o Sport/PE nos pênaltis, na Ilha do Retiro, em Recife-PE, nesta quarta-feira, 3. Apesar da derrota do Vozão por 1 a 0 durante os 90 minutos, a partida foi para a disputa de pênaltis devido à vitória do Alvinegro no primeiro jogo do confronto, na Arena Castelão, por 2 a 1. Com o título, o Ceará garante a classificação direta à terceira fase da Copa do Brasil de 2024. Com o triunfo, o terceiro em menos de 10 anos (2015, 2020 e 2023), o Alvinegro embolsou uma premiação total de R$ 6,4 milhões.

Com placar agregado de 2 a 1 a favor do Ceará, o Sport precisava do resultado para conseguir levar a partida para os pênaltis ou ser campeão de maneira direta, e desde o começo do jogo, pressionou o clube cearense em busca de marcar gols. Logo aos 7 minutos, uma falha do goleiro Richard fez com que a bola sobrasse para Jorginho, meio campista do Sport, dentro da área de defesa do Vozão. O meia finalizou bem, mas o arqueiro conseguiu espalmar a bola, que ainda bateu no travessão.

Após muitas tentativas de gol, ele veio. Aos 26, Igor Cariús avançou pela esquerda, e cruzou forte para dentro da área. A defesa do Ceará afastou mal a bola, que sobrou com Luciano Juba, que, sozinho, finalizou para o fundo das redes. 1 a 0 Sport.

SEGUNDO TEMPO

Se a etapa inicial já foi de pressão a favor do clube pernambucano, nos 45 minutos finais, o Sport foi ainda mais dominante. No segundo minuto da volta ao campo, Luciano Juba, autor do primeiro gol, teve uma chance clara de ampliar o marcador, mas parou em Richard. Aos 12, em um novo ataque do Rubro-Negro, Edinho cobrou falta para dentro da área, a bola passou por todo mundo em direção à meta alvinegra, mas Richard fez outra ótima defesa, impedindo o segundo gol do Leão da Ilha.

Aos 24 minutos veio a melhor chance do Sport no segundo tempo, com participação de Wanderson, atleta que entrou no segundo tempo, e Felipinho, outro jogador que substituiu um dos titulares ao início da partida. O primeiro jogador avançou pela direita e cruzou para o seu companheiro de equipe, que chegou chutando de bate pronto. A bola desviou na zaga do Ceará e bateu no travessão. No rebote, Wanderson finalizou de primeira, mas o arremate foi em direção à trave. No final do jogo, aos 47, o Leão ainda teria uma chance de fazer o segundo gol e ser campeão aos 90 minutos, mas Gabriel Santos demorou a finalizar, ficando sem ângulo para a batida, que acabou saindo sem direção.

DISPUTA DE PÊNALTIS

Nas cobranças de pênaltis, o goleiro do Sport, Renan, ainda chegou a defender a primeira finalização, de Danilo Barcelos, mas o árbitro Denis da Silva Ribeiro Serafim pediu que a cobrança voltasse, pois o arqueiro retirou o pé de cima da linha antes do chute do jogador alvinegro. Na volta, Danilo deixou o dele. Luciano Juba, autor do único gol da partida e principal jogador do clube pernambucano, desperdiçou sua chance. Jean Carlos, do Ceará, e Vagner Love, do Sport, converteram suas cobranças.

Quem cobrou o terceiro pênalti a favor do Vozão foi Guilherme Castilho, que viu o goleiro Renan se esticar e fazer a defesa. A bola ainda chegou a bater na trave direita da meta. Na cobrança do Sport, o zagueiro Sabino cobrou com maestria, empatando a disputa em 2 a 2. Luvannor, para o Ceará, desempatou o embate em 3 a 2, e na cobrança do time pernambucano, Gabriel Santos finalizou fraco, para defesa de Richard

Com a vantagem para o Vovô, um gol de Erick era o suficiente para o título ficar com o Alvinegro de Porangabuçu. E foi o que aconteceu. O atacante finalizou alto, sem chances de defesa para Renan. O Ceará é tricampeão do Nordeste.

TÍTULO, COMEMORAÇÃO E VAGA NAS OITAVAS DA COPA DO BRASIL

Com o título, o Ceará agora chega ao tri da Copa do Nordeste (2014, 2020 e 2023), e iguala o próprio Sport em número de títulos regionais. O Vozão, aliás, é o único clube com três conquistas da fase moderna da competição. Fortaleza (2018 e 2022) e Bahia (2017 e 2021) possuem dois troféus conquistados desde 2013, o primeiro ano da fase atual do Nordestão.

Eduardo Barroca, treinador do Ceará há apenas dois jogos, aproveitou a entrevista coletiva pós-jogo para elogiar o trabalho de Gustavo Morínigo, quem comandou o clube Alvinegro na competição até o fim do primeiro jogo da decisão da Copa do Nordeste, no último dia 19 de abril. Sobre o jogo em si, o atual técnico disse que o elenco sabia que o ambiente seria favorável para o Sport, mas, apesar disso, teve um “compromisso coletivo” em ter foco apenas dentro de campo.

“(…) Quando a gente fala de mentalidade forte, a gente tem que entender que uma equipe forte mentalmente é uma equipe que consegue pensar igual nos momentos do jogo, e a gente trabalhou em cima de gatilhos para que nos momentos de dificuldade estivesse todo mundo pensando da mesma forma e ninguém perdesse foco”.

Com a conquista, o Vozão recebe premiação financeira de R$ 2 milhões, que se soma aos outros R$ 4,4 milhões já conquistados pelo Ceará. Agora, o clube volta seus olhos à Série B, com foco no acesso à primeira divisão. Pela competição, o próximo jogo já é no domingo, 7, contra a Ponte Preta/SP, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas-SP. Para Barroca, o título serve para dar confiança ao restante da temporada.

“Quando os resultados acontecem, as ideias vão ganhando força, os jogadores vão acreditando mais, o ambiente de vitória traz confiança para que você provoque os jogadores com novos desafios e eles possam responder isso melhor. (…) então, com certeza, essa conquista vai trazer benefícios de estabilidade de fora para dentro”.

Além da conquista da taça, o Ceará consegue a classificação direta à terceira fase da Copa do Brasil de 2024, conforme o regulamento da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para a copa nacional.

[ Mais notícias ]