Voltar ao topo

13 de julho de 2024

Três cidades do Interior entre as que mais receberam chuva este ano no Ceará

Compartilhar:

Várzea Alegre, Chorozinho e Ipu compõem a lista, na qual estão também Fortaleza e Maranguape. Dados da Funceme consideram período entre janeiro e este domingo, 17

Redação OPINIÃO CE
redacao@opiniaoce.com.br

Dados de chuvas foram divulgados neste domingo, 17 (Foto: Marciel Bezerra)

Três cidades do Interior do Ceará estão entre as cinco que registraram as maiores chuvas deste ano no Estado, segundo dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) divulgados neste domingo, 17: Várzea Alegre, Chorozinho e Ipu.

O município de Várzea Alegre, no Cariri, registrou uma chuva de 200 milímetros no intervalo entre sábado, 16, e este domingo, que, conforme o balanço do órgão, é o maior acumulado de 2022 até este domingo.

Também até este domingo, a maior chuva do período havia sido registrada entre os dias 9 e 10 deste mês, em São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), com 179 mm. Na sequência aparecem Maranguape (140 mm), entre 2 e 3 de março; Chorozinho (137 mm), entre 2 e 3 de janeiro; e Ipu (136,4 mm), entre os dias 20 e 21 de março.

A Capital, Fortaleza, registrou a quinta maior precipitação do ano, com 135,8 mm, entre os dias 28 e 29 de março novamente – mês este que apresentou precipitações 31,4% acima da média histórica, conforme a Funceme.

A fundação aponta que as últimas chuvas observadas no Ceará são provocadas, de modo geral, por áreas de instabilidade oriundas do Oceano Atlântico e do leste do Nordeste do Brasil, assim como por efeitos locais, como temperatura, relevo e umidade, e sistemas de brisa.

Entre sábado e este domingo, o Estado apresentou precipitações em pelo menos 70 municípios. Além de Várzea Alegre, bons volumes foram observados nas cidades de Granjeiro (86 mm) e Cariús (61 mm), também no Cariri.

CONDIÇÃO HÍDRICA
As precipitações observadas nos últimos dias têm gerado, também, recarga nos reservatórios cearenses monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh). Dos 155 açudes estratégicos do Estado, 25 estão sangrando e outros 12 estão com volume entre 90% e seus respectivos limites. Um dos casos é do açude Olho D’água, principal reservatório de Várzea Alegre.

Após as fortes chuvas do fim de semana, o açude chegou aos 90,63% da capacidade, segundo o Portal Hidrológico. Até sábado, por exemplo, o volume era de 87,74%. No geral, o Ceará está com 32,6% de recarga hídrica total, segundo dados analisados neste domingo.

Embora longe do considerado ideal, que é de 50%, o volume é superior ao observado no mesmo período de 2021 (26,5%); e 2020 (28,9%). Se comparado a 2019, a discrepância é ainda maior. Em 17 de abril daquele ano, o Estado contava apenas com 18,3% de sua recarga total, exatamente a metade do observado neste ano.

Maiores chuvas deste ano, segundo Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme)
1º – Várzea Alegre (200 mm)
2º – Maranguape (140 mm)
3º – Chorozinho (137 mm)
4º – Ipu (136,4 mm)
5º – Fortaleza (135,8 mm)

[ Mais notícias ]