Voltar ao topo

17 de junho de 2024

Tragédia no Rio grande do Sul atinge soma de R$ 1,67 bilhão em pagamento de seguros

Segundo a Confederação Nacional das Seguradoras (CNSeg), os valores a serem pagos ainda estão muito distantes de representar a real dimensão dos prejuízos causados pela catástrofe
As últimas precipitações em Porto Alegre fizeram com que as ruas ficassem novamente alagadas. Foto: Rafa Neddermeyer/ Agência Brasil

Compartilhar:

Empresas de seguro que atuam no Rio Grande do Sul receberam até o momento mais de 23,4 mil comunicados de acidentes decorrentes dos efeitos adversos dos temporais que atingem o estado desde o dia 27 de abril de abril. Segundo a Confederação Nacional das Seguradoras (CNSeg), somados, os avisos de sinistros já ultrapassam a casa dos R$ 1,67 bilhão a serem pagos em indenizações. Os valores, no entanto, ainda estão muito distantes de representar a real dimensão dos prejuízos da catástrofe.

“Neste momento, uma parte muito grande dos segurados sequer avisou os sinistros ocorridos. Sequer entraram com os pedidos de indenização. Isso é natural, porque as pessoas estão cuidando de questões muito mais prementes. Cuidando de suas sobrevivências e de salvar seus bens. Muitas pessoas vão deixar para fazer as notificações assim que as coisas se acalmarem mais“, disse o presidente da CNSeg, Dyogo Oliveira.

Para o presidente da CNSeg, dada a extensão da área atingida e o fato de áreas densamente povoadas terem sido afetadas, tudo indica que esse será o maior conjunto de indenizações já pago pelo setor segurador no Brasil em consequência de um único evento, superando o rompimento da barragem de Brumadinho (MG), da mineradora Vale, em 2019.

“E as seguradoras já vêm adotando procedimentos muito rapidamente para pagar os sinistros mais simples. Muitas seguradoras já estão pagando as primeiras indenizações e temos notícias de que, em média, há pagamentos sendo feitos em até 48 horas, com processos simplificados, inclusive dispensando vistorias e auditorias”, assegurou Dyogo Oliveira.

Conforme os dados fornecidos por 140 seguradoras associadas à CNSeg, o maior número de avisos de sinistro registrados entre 28 de abril e 22 de maio vem de clientes residenciais, totalizando 11.396 comunicados, o equivalente a cerca de R$ 240 milhões em pagamentos previstos. Em seguida vêm os contratantes de seguro automotivo, com 8.216 registros ou cerca de R$ 557 milhões; e o agrícola, com 993 registros ou R$ 47 milhões.

Seguros como o empresarial, de transporte, riscos diversos e riscos de Engenharia resultaram em 2.450 avisos de sinistros, totalizando uma previsão de pagamento de indenizações de pouco mais de R$ 322 milhões. Já os seguros contra grandes riscos, ou seja, os corporativos que incluem, entre outros, os empreendimentos de infraestrutura, englobam 386 avisos e atingem cerca de R$ 510 milhões. (com informações da Agência Brasil).

 

[ Mais notícias ]