Voltar ao topo

24 de julho de 2024

Semana começa com condições de tempo mais estáveis no Ceará

Compartilhar:

Conforme última previsão da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos, entre 7 horas de domingo
e 7 horas desta segunda, choveu em 100 municípios cearenses

Priscila Baima
priscila.baima@opiniaoce.com.br

Previsão do tempo é da Funceme (Foto: Marciel Bezerra)

O Ceará inicia esta semana com condições de tempo mais estáveis, depois de passada a quadra chuvosa (fevereiro a maio), mas ainda assim com precipitações grandes.

Conforme a última previsão da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), entre 7 horas de domingo, 5, e 7 horas desta segunda-feira, 6, choveu em 100 municípios.

Mesmo assim, segundo a Fundação, a tendência é de poucas nuvens em maior parte do território com possibilidade de chuvas pontuais nos próximos dias. Na pós-estação, junho registrou bons volumes pluviométricos em várias regiões do estado, conforme previsão da fundação e do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

De domingo para segunda, Ipueiras foi o município com maior precipitação, com 42 mm, seguido de Chorozinho com 41.5 mm, Quiterianópolis (36 mm), Pires Ferreira e Quixeramobim, ambos com 35 mm. Ontem, a porção centro-norte do Estado recebeu precipitações isoladas entre tarde e noite. Nas demais áreas, não há, neste momento, perspectiva de chuva.

Entre estas terça-feira, 7, e quarta-feira, 8, há chances, ainda que remotas, de chuvas isoladas em todas as regiões do estado. “De acordo com a nossa previsão, para hoje, é esperado um céu parcialmente nublado, com poucas nuvens, mas com chuva em todas as macrorregiões”, confirma o meteorologista da fundação Frank Baima.

O Inmmet também prevê chuva nos próximos dias no Ceará e registrou alerta para as chuvas que virão, com precipitações de até 50 mm para 40 cidades do Ceará, incluindo Fortaleza, com rajadas de vento que podem ser de até 60 km/h.

Os avisos do instituto são divididos em três níveis de severidade, sendo o primeiro deles o de grau 1 ou ‘perigo potencial’; o segundo, de grau 2, também chamado de ‘perigo’; e, por fim, o grau 3 ou ‘grande potencial’. Para este último nível, ainda não houve nenhum alerta no Ceará em 2022.

PÓS-ESTAÇÃO
O principal período de chuvas no Ceará concentra-se entre os meses de fevereiro e maio, quando costumam ocorrer 75% das precipitações do Estado. Porém, mesmo que reduzidos, mais acumulados são esperados até julho, quando acontece a pós-estação. Nestes dois meses, a média histórica é de 52,9 milímetros. As informações são da Funceme.

Segundo a gerência de meteorologia do órgão, o fim da quadra chuvosa não representa o fim das precipitações. Junho e julho continuam a ocorrer registros pluviométricos, mas sem ser associadas à zona de convergência intertropical.

Por exemplo, formação de áreas de instabilidade, principalmente sobre o oceano, que se deslocam e se aproximam da costa cearense, levando a formação das nuvens de chuva. Esse período do ano também é o início da estação chuvosa dos estados do setor leste da região Nordeste. Essas precipitações ocorrem devido às Ondas de Leste.

[ Mais notícias ]