Voltar ao topo

18 de julho de 2024

“Se não nos deixarem entrar, faremos na calçada”, diz Cid sobre reunião na sede do PDT

Recentemente, André Figueiredo informou que nenhuma reunião que não tiver o aval do PDT Nacional não será reconhecida; líder do PDT na Alece, no entanto, confirma que a reunião está mantida para esta sexta, 7
Foto: Beatriz Boblitz

Compartilhar:

A disputa pela presidência estadual do PDT Ceará ganhou um novo capítulo. Nesta terça-feira, 4, o deputado federal André Figueiredo (PDT), presidente estadual e presidente interino nacional da legenda, informou que não serão reconhecidas reuniões não convocadas pelo PDT Nacional. O senador Cid Gomes (PDT), opositor a Figueiredo no embate pela liderança do partido no Ceará, disse que a reunião vai acontecer, mesmo sem o aval do PDT Nacional.

Ao Estado de S. Paulo, o senador informou que a reunião continua marcada para a próxima sexta, 7. “Se houver quórum, a reunião acontecerá na sede do partido. Se não nos deixarem entrar, faremos na calçada, na frente da sede”, disse. Segundo Cid, o encontro pode eleger uma executiva que represente o desejo da maioria.

ENTENDA

Nesta terça, Figueiredo informou que reuniões convocadas sem o aval do diretório nacional do PDT não serão reconhecidas. A fala do parlamentar foi direcionada a Cid Gomes, mediante a aproximação da reunião marcada para esta semana. Tal encontro, aliás, teve edital publicado no fim da semana passado, e foi assinado por mais de 50 membros do diretório.

“Aparentemente o grupo do senador Cid está querendo chamar uma reunião, na próxima sexta-feira, para destituir a executiva legitimamente eleita e com mandato, segundo o site da Justiça Eleitoral, até 31 de dezembro. O Partido não vai reconhecer nenhuma reunião que não seja convocada pela Nacional”, destacou Figueiredo.

REUNIÃO MANTIDA

No entanto, de acordo com o deputado estadual Guilherme Landim (PDT), líder da legenda na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (Alece), a reunião segue mantida. “Quero deixar claro que a reunião está confirmada para que possamos exercer a democracia”, informou. 

“Precisamos assegurar a voz dos pedetistas que desejam ver a continuidade de um projeto bem-sucedido que teve início com o senador Cid Gomes e continuou com o governador Camilo Santana, a governadora Izolda e agora com o governador Elmano”.

Guilherme Landim defende a escolha de Cid Gomes para a liderança do partido no Estado.

Já para o deputado estadual Cláudio Pinho (PDT), os correligionários que defendem Cid Gomes para a presidência do PDT Ceará estão querendo “transformar o PDT em um puxadinho do PT”. Tanto Guilherme Landim, como Cláudio Pinho, entendem que não há uma intervenção, já que não houve destituição do diretório do partido.

[ Mais notícias ]