Voltar ao topo

18 de julho de 2024

“Represento o sentimento majoritário do PDT estadual”, diz Cid sobre presidência do partido

O senador cearense Cid Gomes voltou a afirmar ser "zero" a possibilidade de deixar o PDT e disse que pretende se candidatar, na próxima definição do diretório estadual do partido, à presidência da sigla
Foto: Roberto Moreira

Compartilhar:

O senador cearense Cid Gomes voltou a afirmar ser “zero” a possibilidade de deixar o PDT e disse que pretende se candidatar, na próxima definição do diretório estadual do partido, à presidência da sigla, hoje ocupada pelo deputado federal André Figueiredo. Em entrevista ao colunista do OPINIÃO CE, Roberto Moreira, neste sábado, 6, em Quixeramobim, Cid afirmou representar “o sentimento majoritário” do PDT, que vive uma crise interna no qual está dividido em dois grupos: de apoio ao governo Elmano (PT) e do quadro mais ligado ao ex-prefeito Roberto Cláudio (PDT), que preside o diretório municipal em Fortaleza.

“Vamos ter um momento em que o diretório do PDT será renovado. Todo dia, fica gente plantando futrica de que eu vou sair do PDT. Eu não tenho a menor intenção de sair do PDT, é zero a possibilidade de sair, estou na liderança do PDT no Senado, entusiasmado. Tenho conversado com o presidente [licenciado] Lupi com frequência”, disse, ao ser questionado sobre o diálogo com André Figueiredo acerca da escolha do diretório.

“Tanto não quero sair [da sigla] como estou compreendendo, e isso não é uma vaidade pessoal, que eu represento o sentimento majoritário do PDT estadual hoje no que diz respeito ao Ceará e estou cogitando, no momento do diretório e da executiva, a me candidatar à presidência estadual”, declarou.

Cid também foi indagado sobre declarações recentes do ex-prefeito Roberto Cláudio sobre ser improvável uma aliança entre PT e PDT para as eleições municipais de 2024 em Fortaleza. “Papai dizia que a gente tende a prognosticar aquilo que a gente deseja. Talvez seja isso que ele queira”, disparou o senador. Recentemente, o pedetista declarou ao OPINIÃO CE que a candidatura à reeleição do atual prefeito, José Sarto, é tida como natural. O irmão, de Cid, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), também disse em evento recente do diretório municipal em Fortaleza, que, no caso da candidatura se concretizar, será “cabo-eleitoral” de Sarto.

LEIA TAMBÉM | Crise do PDT é “estardalhaço da imprensa”, diz André Figueiredo, presidente da sigla

NOVOS QUADROS

Em evento nesta sexta-feira, 5, do Consórcio Nordeste, em Fortaleza, Cid reforçou que pretende trazer novos nomes ao partido, que aguarda com expectativa a abertura da janela partidária. Rechaçando o suposto enfraquecimento da sigla com possíveis saídas, como do presidente da Casa, deputado Evandro Leitão (PDT) – nome cotado para Prefeitura de Fortaleza e que conta com apoio do PT -, Cid disse que espera manter os quadros partidários. O senador explicou ainda a ida de Bismarck Maia, prefeito de Aracati e um dos seus principais aliados, para a liderança estadual do Podemos no Ceará: “sacrifício necessário”.

“Você perde um quadro para trazer um conjunto de outras pessoas”, argumenta.

Cid participa de palestra no encontro de produtores realizado em Quixeramobim, no Sertão Central, para debater as principais demandas do setor produtivo cearense. O evento é realizado pela Federação da Agricultura e Pecuária do Ceará (Faec) e discute temas como Projeto São Francisco de Integração de Bacias; Gerenciamento dos Perímetros de Irrigação administrados pelo Dnocs; preço da energia para estabelecimentos rurais; segurança no campo; condição das estradas que cortam os polos agrícolas, dentre outros temas.

[ Mais notícias ]