Voltar ao topo

7 de dezembro de 2023

Rádio opinião

Quem tem fome tem pressa

Deputado Guilherme Landim quer criar no Ceará um programa denominado Alimento Saudável Móvel, baseado no conceito de restaurante popular

Compartilhar:

O deputado Guilherme Landim (PDT) quer criar no Ceará um programa denominado Alimento Saudável Móvel, baseado no conceito de restaurante popular. A ideia não é nova, mas se reveste de importância extra quando se põe à mesa a grave deficiência nutricional das comunidades mais carentes – problema que se alia ao desmonte das políticas habitacionais, ao desemprego galopante, à inflação que poda empreendimentos públicos e privados, à educação pública claudicante e à crise sanitária imposta pela covid-19 e pelo negacionismo que boicota o acesso da população às vacinas.

 

Clone

Experiências do gênero já foram implantadas, com sucesso, em cidades do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, por exemplo. Isso torna a proposta de Guilherme Landim um clone, já que o deputado não se deu ao trabalho de indicar as origens da iniciativa, mas não a torna menos relevante. Landim sugere que a ação seja tocada pela Secretaria de Estado de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos do Ceará e que vise a “prover a alimentação e nutrição das pessoas em situação de rua”. O texto admite que o programa receba doações de particulares.

 

No fio da navalha

O ano é eleitoral e não se pode descartar que projetos dessa natureza corram o risco de serem taxados de demagógicos ou populistas. Que sejam. O que há é, sim, uma aguda e letal insegurança alimentar rondando famílias – o deputado observa que o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) estima em mais de 220 mil as pessoas que passam fome cronicamente no Brasil.  E, como disse o sociólogo Herbert de Souza, o Betinho: “Quem tem fome tem pressa.”

 

Menos, menos

O ministro do Turismo, Gilson Machado, é agora Cidadão de Fortaleza. O autor da homenagem na Câmara Municipal, vereador Julierme Sena (Pros), o definiu como “arretado, valente, aguerrido, corajoso e de um talento incomparável, além do carisma contagiante”. Gilson é aquele que vez por outra aparece tocando sanfona em lives do presidente Jair Bolsonaro. Não se sabe se por ironia ou ingenuidade, Julierme lembrou que Gilson integrava um grupo de forró chamado “Brucelose” – doença de gado que se previne com vacina. Para finalizar: no discurso de agradecimento, o ministro até falou de Recife (PE), mas não citou uma só obra feita em Fortaleza ou no Ceará.

[ Mais notícias ]