Voltar ao topo

18 de julho de 2024

Quem depredar equipamentos esportivos, em Fortaleza, pode ser impedido de acessá-los

O PV será palco da final da Série D do Campeonato Brasileiro Foto: Kaio Machado/ Prefeitura de Fortaleza

Compartilhar:

Com base no artigo 501 do Código da Cidade, foi submetido um projeto de lei à Câmara Municipal de Fortaleza (CMFOR) para impedir acesso de torcedores a equipamentos públicos esportivos que tenham depredado anteriormente. A matéria, de autoria do vereador Lúcio Bruno (PDT), foi uma das pautas da reunião de terça-feira (22) sobre revisão do Plano Diretor na Capital.

“Tal medida visa coibir a depredação de equipamentos esportivos, em especial arenas esportivas como o Estádio Presidente Vargas, Areninhas, quadras, etc.”,  justifica o propositor. Bruno Mesquita (Pros) e Dr. Vicente (PT), no entanto, pediram vistas para ter um tempo maior de avaliação da matéria.

A proposta altera a Lei Complementar nº 270, de 2019, acrescentando que, nesses casos, o infrator ficará sujeito, além de outras penalidades, à proibição de acesso ao equipamento por um ano.

Na reunião da comissão especial também foram analisados projetos sobre denominação de logradouros e edifícios públicos e sobre prolongamento de via no bairro Messejana. Participaram das discussões os vereadores Gardel Rolim (PDT), Emanuel Acrízio (Progressistas), Dr. Luciano Girão (Progressistas), Adriana Nossa Cara (Psol) e Márcio Martins (PROS), além de Lúcio Bruno, de Dr. Vicente e de Bruno Mesquita.

 

[ Mais notícias ]