Voltar ao topo

24 de julho de 2024

Preço do diesel maior para distribuidoras a partir desta terça em todo Brasil

Compartilhar:

Anúncio foi realizado nesta segunda. Gasolina e GLP tiveram seus preços mantidos. PL que cria Fundo de Estabilização dos Preços de Combustíveis está parado na Câmara dos Deputados

Aumento é voltado a distribuidoras (Foto: Natinho Rodrigues)

O preço do diesel para as distribuidoras passa nesta terça-feira, 10, a ter aumento de R$ 4,51 (litro) para R$ 4,91 (litro). O anúncio foi feito nesta segunda-feira, 9, pela Petrobras – o reajuste é de 8,87% e o aumento, de R$ 0,40. Segundo a empresa, esse é o primeiro reajuste do combustível em 60 dias. A gasolina e o GLP tiveram seus preços mantidos.

Com o aumento, a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel passará a custar para a distribuidora R$ 4,42 por litro, em vez dos atuais, até ontem, R$ 4,06, uma alta de R$ 0,36. Essa é a parcela da Petrobras no preço cobrado do consumidor, que ainda inclui custos e margens de lucro das distribuidoras e dos postos de combustível, além do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

BALANÇO GLOBAL DO DIESEL
A estatal justifica o aumento informando que o balanço global de diesel está sendo impactado, neste momento, por uma redução da oferta frente à demanda. “Os estoques globais estão reduzidos e abaixo das mínimas sazonais dos últimos cinco anos nas principais regiões supridoras. Esse desequilíbrio resultou na elevação dos preços de diesel no mundo inteiro, com a valorização deste combustível muito acima da valorização do petróleo. A diferença entre o preço do diesel e o preço do petróleo nunca esteve tão alta”, informa em nota divulgada à imprensa.

A Petrobras acrescenta que suas refinarias estão operando próximo ao nível máximo e que o refino nacional não tem capacidade de atender a toda a demanda do País. “Dessa forma, cerca de 30% do consumo brasileiro de diesel é atendido por outros refinadores ou importadores. Isso significa que o equilíbrio de preços com o mercado é condição necessária para o adequado suprimento de toda a demanda, de forma natural, por muitos fornecedores que asseguram o abastecimento adequado”, disse a estatal.

BASEADO EM DÓLAR
Os preços dos combustíveis no Brasil possuem como base de cálculo o dólar, em razão do refino do petróleo brasileiro ser realizado por empresas do Exterior, razão pela qual a majoração de valores é a moeda norte-americana. Ao tomar posse, no mês passado, o presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, defendeu a atual política de preços da estatal – dias depois, o gestor afirmou que o formato seguiria.

A precificação dos combustíveis com base no dólar é interessante sobretudo aos acionistas da estatal. Na Câmara dos Deputados, está parado o projeto de lei que trata da criação do Fundo de Estabilização de Preços dos Combustíveis, que funcionaria como uma espécie de reserva que seria utilizada para que os reajutes não fossem sentidos pelo consumidor quando houvesse aumento do valor ou permanecesse guardada quando não fosse preciso o Governo Federal intervir subsidiariamente.

A proposta tramitou no Senado Federal, mas foi paralisada ao chegar à Câmara. De acordo com o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), a matéria não tem data para ir a plenário. (Com Agências)

[ Mais notícias ]