Voltar ao topo

25 de julho de 2024

PM é morto a tiros dentro de carro; Elmano se pronuncia contra a “inaceitável violência”

Entre os quatro suspeitos do crime, um foi morto durante a operação policial e outro foi preso; A arma de fogo e o carro utilizado pelos criminosos também foram apreendidos.
Reprodução

Compartilhar:

O policial militar Flávio Nascimento, lotado no Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio), foi morto a tiros em um carro, na noite da última segunda-feira (10), ao reagir a uma tentativa de assalto. O crime ocorreu no bairro Quintino Cunha, enquanto o sargento estava de folga. A perseguição das Forças de Segurança do Estado resultou na morte de um suspeito e na prisão de outro. Em suas redes sociais, o governador Elmano de Freitas (PT) lamentou a “inaceitável violência” e informou que a polícia “não descansará” até capturar os outros dois envolvidos no caso.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), os suspeitos utilizavam tornozeleira eletrônica. A equipe da Coordenadoria de Inteligência (Coin), da Polícia Militar do Ceará (PMCE), da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) e da Coordenadoria de Operações Aéreas (Ciopaer), identificou quatro suspeitos do crime contra o policial. Os homens possuem um histórico de crimes, como homicídios, roubo e tráfico de drogas. A arma de fogo e o carro utilizado pelos criminosos foram apreendidos.

“Os três homens estavam tornozelados e respondem por vários crimes como homicídios, roubo e tráfico de drogas. Já um quarto homem, suspeito de guardar a arma utilizada no crime, identificado como Anderson Ismael Andrade Soares, de 19 anos, que quando adolescente foi apreendido por atos infracionais análogos a tráfico de drogas e a homicídio, também está sendo procurado”, informou a SSPDS.

A Associação dos Profissionais da Segurança (APS) publicou nota de pesar referente à morte do PM, lamentando o ocorrido e a realidade que afeta outros policiais.

“Neste momento de grande dor, a APS expressa sinceras condolências à família, amigos e colegas do policial. Perdemos mais do que um agente da lei; perdemos um homem bom, dedicado à proteção da sociedade. Sua ausência deixa uma lacuna irreparável, especialmente para seus familiares. A APS se solidariza com todos que sentem esta perda irreparável. Que a justiça seja feita e que a memória do policial militar seja honrada como exemplo de coragem, dedicação e serviço à sociedade cearense”, disse a APS

[ Mais notícias ]