Voltar ao topo

25 de julho de 2024

Planeta Jovem: ideias, escola do futuro, educação e pedagogia da autonomia

Compartilhar:

Em julho de 2023 fui convidado pela professora Teresa Mota a participar do grupo Iracema Digital. Como sou afeito a provocações e desafios, especialmente aos que dizem respeito à educação, aceitei de pronto. Para minha surpresa lá estavam, senhores e jovens empresários, investidores, mas também, professores, artistas, músicos e o presidente que já conhecia. Nesse grupo envolvido e ativo conheci o criativo e contagiante professor Mauro Oliveira, idealizador do Planeta Jovem que teve sua primeira edição em 2022.

Sábado, dia 13, eu acompanhei a segunda edição do Planeta Jovem. A apresentação impactava e envolvia pela pergunta: “Como será o planeta no futuro?”, e pelos temas que seriam tratados: “O planeta jovem que …”; “Explorando um novo planeta”; “O planeta jovem acontece no metaverso”; “Quem vai habitar o planeta jovem”; “O que entregaremos” e o “O desafio do metagame e seus países”. Segundo o professor Mauro Oliveira, o Planeta Jovem nasceu da inquietação sobre a realidade da escola que temos. “Nós consideramos que a nossa escola, especialmente a pública, ainda está no velho planeta, muito atrasada, não percebeu algumas evoluções cognitivas, tecnológicas, a quebra no paradigma com a evolução da web e nem a evolução que chegava nas redes sociais. Não percebeu ainda essa evolução mais recente que é do metaverso e da inteligência artificial”.

Para ele, a ideia do planeta jovem nesse ambiente do metaverso é permitir que os alunos emponderados sejam convidados ao planeta imaginário onde criariam países, modelos de governos, legislações e a resolver desafios. O Planeta Jovem 2 foi apresentado pelas estudantes, Bianca Silva do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária e Bruna Amorim do curso de Tecnologia em Redes de Computadores, ambas do IFCE. Bianca participou da primeira edição como primeira-ministra no parlamento e tripulante do país “Galixandria”. Nessa segunda edição do projeto, Bruna atuou como embaixadora. Segundo Bruna, entre os países, “discutimos temas como economia do mar, transformação digital, meio ambiente e sustentabilidade, escola do futuro, arte e cultura, etc”.

Já Bianca atuou como mentora dos novos tripulantes do país Jakkar, que trabalhava a questão da escola do futuro. E por falar em escola do futuro e educação, perguntei à Bianca como os tripulantes do país Jakkar esperam e analisam a inteligência artificial como benefício à escola do futuro. Para Bianca, o planeta jovem empondera os jovens a criar e pensar de forma diferente a solução de problemas e que “a escola idealizada busca valorizar a integração da tecnologia como ferramenta educacional fundamental permitindo a relação de autonomia dos jovens para que tenham mais voz e participação ativa em sua própria educação”. Sobre as ideias de educação do Planeta Jovem, Mauro Oliviera disse-me gostar muito da definição da ex-governadora Izolda Cela: “O Planeta Jovem é a oportunidade para o jovem ir em busca da sua melhor versão”.

[ Mais notícias ]