Voltar ao topo

14 de julho de 2024

PDT filia mulheres para disputar eleições; Cid comenta saída de Moro da disputa ao Planalto

Divulgação

Compartilhar:

Ocorre, nesta sexta-feira, 1º, em evento interno do PDT no Ceará, a filiação de mulheres que devem disputar algum cargo no Legislativo no pleito de outubro. Segundo o partido, a intenção é “eleger uma grande representação feminina”. Quem conduz o encontro é o senador Cid Gomes (PDT).

A legenda diz que vai investir na eleição de Ana Paula, Lia Gomes, Luiza Martins, Natália Rios, Adriele Teixeira e “outras 70 mulheres que assinaram ficha de filiação”. “O Ceará está sendo governado por uma mulher, aumentaremos a participação das mulheres no vida pública”, disse o ex-prefeito Roberto Cláudio, que participou do evento.

Além dele, marcaram presença o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Evandro Leitão, e o deputado federal André Figueiredo.

O senador Cid Gomes comentou sobre a desistência de Sérgio Moro à disputa do Planalto. “Sinceramente, isso mostra um lado que eu já tenho ideia. Para mim, o Sérgio Moro é um grande oportunista”, avaliou.

Cota feminina

Desde a última reforma eleitoral, partidos devem lançar, pelo menos, 30% de candidaturas de cada gênero, ou seja, devem ter essa taxa mínima de postulantes mulheres ao Legislativo. Essa regra embasa, também, a distribuição de recursos do Fundo Eleitoral.

Sendo assim, pelo menos 30% desse dinheiro deve ser usado para financiar as campanhas de candidatas femininas. O mesmo percentual deve ser aplicado em relação ao tempo da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão.

 

[ Mais notícias ]