Voltar ao topo

17 de julho de 2024

Para onde que os brasileiros olham antes de votar

Compartilhar:

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Saúde e emprego são os temas que mais influenciam neste ano na intenção de voto dos brasileiros. Após mais de 662 mil mortes pela covid-19, sem contar as denúncias de que quadrilhas tentaram desviar dinheiro destinado a vacinas – o que foi apurado em CPI no Senado -, e diante da legião de mais de 12,4 milhões de desempregados, essa informação não deverá ser bem deglutida pelo governo de Jair Bolsonaro. Mas é o prato do dia. O dado foi levantado bem longe das bancadas de oposição – que, em tese, podem usá-los à exaustão durante a temporada eleitoral. Quem os desvendou foi uma multinacional insuspeita, a operadora de telefonia Tim. Segundo pesquisa da empresa, na qual se ouviram 186 mil pessoas, 19% têm saúde como tema principal e outros 19% citam o emprego.

DÁ PARA PIORAR

Se essa não é uma notícia boa para Bolsonaro, o detalhamento dos números também não melhora o cenário para ele. Outras pautas citadas são educação (16%), projetos sociais (15%), economia (15%), segurança pública (14%) e saneamento básico (13%) – em todos há largas e profundas lacunas sofridas pelos brasileiros.

DÁ PARA PIORAR MUITO MAIS

Não bastando o abismo diante do qual a gestão de Bolsonaro se encontra, conforme a pesquisa da Tim, há o outro lado da moeda. É lá em que estão as características dos candidatos que são respeitadas pelo eleitor. E disseram os ouvidos pela empresa: “projetos já realizados (17%), a experiência política (13%) e a forma como trata os eleitores (13%).”

OLHOS E OUVIDOS ATENTOS

E é recomendável que candidato nenhum se meta a besta de fugir de debates. A operadora apurou que 51% dos entrevistados acompanham os confrontos – desses, 28% por toda a campanha e 18% só nos momentos próximos às eleições. Mais: 63% disseram ser favoráveis ao voto obrigatório.

Forte praia, minha cidade

A Prefeitura de Fortaleza está em busca de quem tope explorar, por meio de concessão, quiosques e lojinhas nos espigões das avenidas Rui Barbosa e Desembargador Moreira, na Beira Mar. Serão 22 espaços, nos quais devem ser vendidos souvenirs, artesanato, artigos esportivos e de moda praia e alimentos, entre outros. Também haverá espaços para operadoras de turismo e prestadores de serviços como massagistas e – creia! – iogues. A soma que o Município pretende arrecadar supera R$ 6 milhões.

[ Mais notícias ]