Voltar ao topo

20 de abril de 2024

Países do G20 representaram mais de 80% das exportações cearenses em 2023

Em junho e em outubro, serão realizadas agendas do G20 no Estado, no Centro de Eventos do Ceará; segundo Elmano, tais encontros podem "proporcionar novos investimentos e ampliar a geração de emprego e renda aos cearenses"
Porto do Pecém, em São Gonçalo do Amarante. Foto: Divulgação/Governo do Estado

Compartilhar:

Dados do relatório anual Ceará em Comércio Exterior (Comex), elaborado pela Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) por meio do Centro Internacional de Negócios, mostra que os países que integram o G20, principal Fórum de Cooperação Econômica Internacional, representam 83,2% das exportações do Ceará. Os Estados Unidos é o que mais recebe produtos cearenses, com 47,2% dessa parcela. Entre os dias 10 e 12 de junho, serão realizados seis encontros do G20 no Centro de Eventos do Ceará. A agenda do fórum no Estado se estende até outubro. O Governo vem defendendo que esta é uma boa oportunidade para ampliar parcerias.

No ano de 2023, conforme o Executivo, as exportações do Estado alcançaram mais de US$ 2 bilhões (cerca de R$ 10,2 bilhões). O valor representa uma queda de 13% em comparação com as exportações de 2023 (US$ 2,3 bilhões). O documento elaborado pela Fiec, no entanto, aponta que o Ceará expandiu seu alcance para 148 países, um aumento de 2% em relação ao ano anterior. A via marítima se destacou como a principal rota de exportação, representando cerca de 93% do total exportado, com um valor de US$ 1,89 bilhão. Confira os países que mais receberam exportações cearenses:

  • Estados Unidos: 47,2%;
  • México: 11,7%;
  • Argentina: 4,5%;
  • Alemanha: 4%;
  • Bélgica: 3,3%;
  • Holanda: 3,3%;
  • França: 2,5%;
  • China: 2,4%;
  • Itália: 2,1%;
  • Reino Unido: 2,1%;

Ainda conforme o Governo do Estado, com a realização dos encontros do G20 no Estado, a aproximação com os países deve ser fortalecida. Dos encontros, serão quatro reuniões técnicas e duas ministeriais, para discutir temas relacionados à educação, trabalho e finanças. “Realizaremos reuniões técnicas e eventos culturais para promover o nosso Estado, proporcionar novos investimentos e ampliar a geração de emprego e renda aos cearenses. O presente e o futuro do nosso planeta estão passando pelo Ceará”, enfatizou o governador Elmano de Freitas (PT).

G20 NO CEARÁ

Entre os dias 10 e 12 de junho, no Centro de Eventos, ocorrem reuniões técnicas do Grupo de Trabalho (GT) Arquitetura Financeira Internacional, que estão sendo organizadas pelo Ministério da Fazenda e o Banco Central do Brasil, com apoio do Governo cearense. Entre os dias 1º e 3 de julho, o Estado terá mais um momento da Trilha de Finanças liderado pelo Ministério da Fazenda e Banco Central. Ainda em julho, nos dias 23 e 24, liderado pelo Ministério do Trabalho e do Emprego, será a vez do GT Emprego da Trilha Sherpas se reunir. Na sequência, nos dias 25 e 26, serão realizadas as reuniões ministeriais com objetivo de discutir a ampliação e a geração de empregos nos países menos desenvolvidos.

Em outubro, no dia 29, o GT da Educação da Trilha Sherpas, vai se reunir. Finalizando o calendário do G20 no Ceará, nos dias 30 e 31 de outubro, será realizada mais uma reunião ministerial, desta vez coordenada pelo Ministério da Educação (MEC), que conta com o ex-governador do Ceará, Camilo Santana (PT), como o titular da pasta.

O G20 é composto por 19 países: África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Reino Unido, Rússia e Turquia, além de dois órgãos regionais: a União Africana e a União Europeia. Os membros do G20 representam cerca de 85% do Produto Interno Bruto (PIB), mais de 75% do comércio e cerca de dois terços da população mundial.

TRANSIÇÃO ENERGÉTICA E ENERGIAS RENOVÁVEIS

Ainda segundo o Executivo cearense, outro fator que “certamente” ampliará as relações internacionais do Estado são as energias renováveis. “O Ceará vem se consolidando como um dos principais players da cadeia de produção de hidrogênio verde [H2V]”, destacou o Governo.

Em 2021, foi assinado o 1º Memorando de Entendimento (MoU) com uma empresa australiana interessada em instalar uma planta para produzir o combustível. Na ocasião, foi criado o Hub de Hidrogênio Verde do Ceará que funcionará no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). Desde então, foram assinados outros 35 acordos com empresas globais e 4 pré-contratos com o CIPP e a Zona de Processamento de Exportação (ZPE Ceará). A previsão de investimentos até 2030 é de R$ 8 bilhões.

De acordo com Roseane Medeiros, secretária estadual de Relações Internacionais, os embaixadores de países do G20 ficam “surpreendidos” com a estrutura do Estado. “A parceria do Complexo do Pecém com o Porto de Roterdã, na Holanda, tem sido avaliada da maior importância, já que é um porto que planeja ser Hub de entrada para o hidrogênio verde que a Europa pretende comprar”, destacou ela.

“A China também tem muito interesse em investimento de energia. Então é um momento propício para a gente divulgar as potencialidades do Ceará e tornar o estado mais conhecido no cenário internacional”, completou.

Felipe Barreto

[ Mais notícias ]

Good View #Coluna24

Fortal anuncia mudança de local em 2024 O Fortal adotou o lema “Viva o novo!” para anunciar sua grande novidade para 2024: a mudança da