Voltar ao topo

21 de julho de 2024

Nordeste tem renda domiciliar per capita abaixo da média nacional

Compartilhar:

Números são de 2021 e estão em levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísica. Estudo traz também o Coeficiente de Desequilíbrio Regional do Nordeste

Redação OPINIÃO CE
redacao@opiniaoce.com.br

Foto: Natinho Rodrigues

Com base em levantamento próprio, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgou que, em 2021, o rendimento nominal domiciliar per capita do Nordeste foi de R$ 839, com Coeficiente de Desequilíbrio Regional (CDR) de 0,61. No Centro-Oeste, o rendimento foi de R$ 1.557, acima da média nacional (R$ 1.367), tendo o CDR igual a 1.

O Norte teve rendimento de R$ 878 e CDR de 0,64. Os dados foram divulgados na última sexta-feira, 27. Os coeficientes são calculados com base nos valores de rendimentos regionais em comparação com a média nacional. Para o cálculo do CDR, são considerados os rendimentos de trabalho e de outras fontes.

Os valores foram obtidos a partir dos rendimentos brutos de trabalho e de outras fontes, efetivamente recebidos no mês de referência da pesquisa, acumulando as informações das quintas entrevistas do primeiro, segundo, terceiro e quarto trimestres da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) que compõem o ano de 2021, para o resultado deste ano de referência.

Segundo o decreto 9.291/2018, os coeficientes serão aplicados na apuração dos encargos financeiros incidentes sobre os financiamentos de operações de crédito com recursos do Fundo de Financiamento do Nordeste (FNE), do Fundo de Financiamento do Norte (FNO) e do Fundo de Financiamento do Centro-Oeste (FCO).

REVISTA LIBERADA
Desde o último dia 26, leitores da Revista Brasileira de Geografia (RBG) podem acessar os números antigos da publicação por meio de uma ferramenta de busca – ver mais informações no site do IBGE. Todos os conteúdos das edições de 1939 e 2006 podem ser consultados a partir de palavras-chave, nome do autor ou título do trabalho.

A ferramenta de busca já está disponível na página da publicação. Para encontrar um trabalho publicado na RBG antes de 2016, era preciso consultar os índices e baixar a edição na íntegra.

“O trabalho que empreendemos vai garantir o acesso imediato aos conteúdos desejados de forma muito mais rápida e fácil, agilizando a busca de artigos individuais, sem necessidade de download de edições anteriores completas”, explica a editora executiva da revista, Maria Lucia Vilarinhos.

De maneira mais fácil, os leitores podem acessar hoje artigos clássicos de grandes nomes da geografia brasileira e internacional como Aziz Ab’Saber, Orlando Valverde, Lysia e Nilo Bernardes, Fábio de Macedo Soares, Milton Santos, Bertha Becker, Roberto Lobato Corrêa, Leo Waibel, Preston James, Francis Ruelan, Emmanuel de Martonne e tantos outros que marcaram a formação do campo de estudos geográficos no Brasil.

No acervo da revista também há artigos de áreas correlatas à geografia como Geomorfologia, Climatologia, Geodésia, Cartografia e Toponímia. A RBG é uma das mais antigas e respeitadas publicações técnico-científicas brasileiras, na área de Geografia e ciências afins.

[ Mais notícias ]