Voltar ao topo

24 de julho de 2024

Museu Orgânico será inaugurado no Quilombo dos Souza, no Cariri

Iniciativa do Sistema Fecomércio Ceará busca valorizar a cultura quilombola e promover reconhecimento no Cariri
Foto: Divulgação

Compartilhar:

Localizado no Sítio Vassourinha, no município caririense de Porteiras, o Quilombo dos Souza não é apenas um exemplo de resistência, mas também de persistência em manter viva a identidade cultural própria em meio ao apagamento histórico enfrentado pelo povo negro na região. E é nesse território que, nesta sexta-feira, 25, às 17h, será inaugurado o Museu Orgânico Terreiro Cultural da Mestre Maria de Tiê. A iniciativa é promovida pelo Sistema Fecomércio Ceará, por meio do Serviço Social do Comércio (Sesc), como parte da programação da Mostra Sesc Cariri de Culturas.

Alemberg Quindins, gerente de cultura do Sesc Ceará, aponta que essa ação se encaixa no processo de reconhecimento da Chapada do Araripe como Patrimônio da Humanidade e ressalta que espaços como o Museu Orgânico Terreiro Cultural da Mestre Maria de Tiê são exemplos de gestão participativa desse rico território cultural. O museu, que é o 14º do gênero na rede de fomento à tradição, é um reconhecimento ao valor cultural do Quilombo dos Souza. Maria de Tiê, reconhecida como Mestra na tradição da dança de coco e maneiro pau, é a figura central dessa homenagem. Através do museu, a vivência da ancestralidade cultural desse povo será destacada por meio da arte dessas danças.

RESISTÊNCIA

A história de Maria de Tiê, também conhecida como Maria Josefa da Conceição, é um testemunho vivo da força e persistência das mulheres negras e quilombolas. Herdeira de uma liderança masculina, ela assumiu o protagonismo para preservar e celebrar as tradições da dança de coco e maneiro pau, sendo reconhecida como Tesouro Vivo da Cultura do Estado do Ceará e Notório Saber em Cultura Popular, concedidos pela Secretaria de Cultura do Ceará (Secult) e a Universidade Estadual do Ceará(Uece)

Maria de Tiê compartilha sua emoção com a inauguração do museu: “O Museu vai trazer mais reconhecimento e chamar as pessoas para conhecer nossa história, a nossa cultura e a nossa tradição. Vai trazer coisas boas para o meu trabalho, para a minha história e para o meu povo. Tenho orgulho de dizer que sou mulher negra, quilombola”.

QUILOMBO

O Quilombo dos Souza, reconhecido pela Fundação Palmares em 2005, é fruto de uma história de resistência que remonta ao século XVI. Raimundo Valentim de Sousa, conhecido como Raimundo Preto, fundou essa comunidade que hoje abriga 330 famílias, mantendo viva a memória de suas tradições e identidade cultural. A inauguração do Museu Orgânico Terreiro Cultural da Mestre Maria de Tiê não apenas honra o legado dessas comunidades quilombolas, mas também promove um importante espaço de preservação cultural e reconhecimento da riqueza histórica do Cariri.

[ Mais notícias ]