Voltar ao topo

24 de julho de 2024

Izolda anuncia o fim da tarifa de contingência de água para Fortaleza e outras 17 cidades; confira

Cerca de 4 milhões de cearenses devem ser beneficiados com a decisão.
Foto: Reprodução/Facebook

Compartilhar:

A governadora Izolda Cela (PDT) informou, em transmissão ao vivo nas redes sociais nesta quinta-feira, 5, o fim da taxa de contingência de água pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) ao município de Fortaleza e outras 17 cidades da Região Metropolitana. Segundo a chefe do Executivo estadual, mais de 356 mil domicílios serão contemplados, o que beneficia uma média de 4 milhões de moradores. A revogação da situação de escassez hídrica nestes municípios só foi possível, segundo Izolda, pela melhora nas condições de abastecimento nos reservatórios que atendem a região.

Também estiveram presentes no anúncio o secretário de Recursos Hídricos do Ceará (SRH), Francisco Teixeira, e Neuri Freitas, atual presidente da Cagece.

“Em relação ao sistema hídrico da Região Metropolitana de Fortaleza, nós temos 82%. Agora, quando observamos o macrossistema que serve Fortaleza e Região Metropolitana (um total de 18 municípios), temos um percentual de quase 95% de abastecimento e com previsão de chegar a 100% no final de maio. Isso nos dá autonomia de água para a região que é servida por esse sistema por dois anos sem precisarmos nos servir da água do Castanhão”, explicou.

Os açudes que possibilitam a recarga necessária são Pacajus, Pacoti, Riachão e Gavião. Ainda conforme Izolda, o cenário positivo para aporte se estende para o sistema hídrico do Ceará como um todo. “Após reunião onde estavam os dirigentes do sistema de recursos hídricos do Ceará, recebi o relatório com relação a condição de reserva hídrica do nosso Estado. Estamos com um percentual total de 37%. Não chegamos a 50%, ainda, mas representa uma melhoria muito importante”, destacou Izolda Cela.

O secretário Francisco Teixeira acrescentou, durante o anúncio, que, nos momentos mais críticos, o Ceará chegou a estar com apenas 6% das reservas hídricas. “Portanto, 37% já é algo representativo e nos dá uma situação melhor”. Em entrevista recente ao OPINIÃO CE, Teixeira ponderou, no entanto, que um cenário mais confortável só seria possível com ao menos 50% das reservas hídricas nos 155 açudes estratégicos monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Ceará (Cogerh).

Municípios atendidos:

  • Fortaleza
  • Aquiraz
  • Cascavel
  • Caucaia
  • Chorozinho
  • Eusébio
  • Guiúba
  • Horizonte
  • Itaitinga
  • Maracanaú
  • Maranguape
  • Pacajus
  • Pacatuba
  • São Gonçalo do Amarante
  • São Luiz do Curu
  • Paraipaba
  • Paracuru
  • Trairi

Quando começa a valer

Conforme o presidente da Cagece, Neuri Freitas, a retirada da tarifa já fica válida para o mês de maio. “A fatura referente ao mês de maio, que é no mês de junho, não terá mais a cobrança da tarifa de contingência. Isso vale desde 1º de maio em diante. As faturas que estão chegando neste mês referente a abril, ainda terá a tarifa”.

Cenário irregular

Com base nos dados fornecidos pelos técnicos da SRH, a governadora destacou que, embora represente uma melhora, os indicadores ainda são irregulares se observado todo o território cearense. “Por exemplo, o Sertão Central tem 9% [de reserva] somente. Vemos Coreaú, com 98%. Então, tem um nível de irregularidade que demanda atenção”, ponderou Izolda. “A água é um bem muito precioso e que sempre vai exigir de nós o uso consciente”.

[ Mais notícias ]