Voltar ao topo

16 de julho de 2024

Inspetor da PRF denunciado por homicídio qualificado vai a novo júri popular em Paramoti

Em 2019, Alisson Primo foi condenado a 14 anos de prisão por homicídio qualificado. O julgamento, contudo, foi anulado, levando à realização do novo julgamento
Foto: Divulgação/MPCE

Compartilhar:

O inspetor da Policial Rodoviária Federal (PRF) Alisson Francelino Primo sentará novamente no banco dos réus, nesta quarta-feira, 5. O agente de segurança é acusado de matar um comerciante, no dia 25 de julho de 2010, em Paramoti, no Sertão Central, sendo  tempos depois, denunciado pelo representante do Ministério Público do Ceará (MPCE) por homicídio qualificado.

Em 2019, Alisson Primo foi condenado a 14 anos de prisão por homicídio qualificado, conforme a denúncia paresentada pelo Ministério Público estadual. O julgamento, contudo, foi anulado, levando à realização do novo julgamento, nesta quarta.

Na sexta-feira passada, 30 de junho, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou pedido da defesa para transferir o julgamento para a comarca de Fortaleza. O entendimento do STJ foi de que os jurados da comarca de Paramoti são imparciais. O relator foi o ministro Joel Ilan Paciornik. Com a negativa, a decisão do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) de realizar o julgamento em Paramoti foi mantida.

[ Mais notícias ]