Voltar ao topo

24 de julho de 2024

Inaugurado, Centro Cultural do Cariri começa a funcionar em agosto

Compartilhar:

Equipamento vai oferecer espaços de formação, exposições, teatro, biblioteca, reserva técnicas, entre outros. Entretanto, sua gestão segue indefinida

Antonio Rodrigues
Correspondente no Interior do Estado
antonio.rodrigues@opiniaoce.com.br

Equipamento foi entregue no dia 1º deste mês (Foto: Elizângela Santos)

Com investimentos girando em torno de R$53,6 milhões, o Centro Cultural do Cariri Sérvulo Esmeraldo, em Crato, foi inaugurado, no último dia 1º, para ser o grande instrumento de fomento da cultura em uma das regiões mais ricas em saberes e tradições populares do Ceará.

Apesar da grande expectativa do novo equipamento, a Secretaria de Cultura do Estado (Secult) informou que todos seus atrativos e atividades só devem funcionar a partir do próximo mês de agosto. Sua gestão ainda está sendo discutida.

Em seus 52 mil metros quadrados de terreno — destes, 12 mil de área construída — o Centro Cultural do Cariri vai abranger, na parte interna, a área administrativa; oficinas e ateliês; salas de pesquisa e ações formativas; salas de residências artísticas; espaço multiuso; restaurante; café; loja; oficina de artes e ofícios; laboratório fotográfico; estúdio de gravação de áudio para a rádio; três espaços expositivos; reserva técnica, biblioteca; e teatro escola com capacidade para 500 lugares equipados com camarins, salas de aula, sala de espetáculos e sala polivalente.

Do lado de fora, oferta planetário, quadra de areia para vôlei, palco, bosque, jardim, brinquedopraça, areninha de futsal e pista de skate. Estes três últimos serão justamente os primeiros a serem oferecidos ao público. Segundo a Secult, as aberturas acontecerão de forma gradual, começando por equipamentos das áreas externas, aos fins de semana com agendamento prévio.

Em nota, a Secult explica que, após a entrega da obra de construção civil, outros serviços precisam ser finalizados, como a instalação de instrumentos de alta tecnologia. Por isso, a previsão é que tudo esteja funcionando no início do segundo semestre. “Na medida em que o Centro Cultural estiver apto a receber o público, serão abertos os serviços e espaços da área interna.”

Enquanto ainda não está em pleno funcionamento, o Centro Cultural do Cariri já desperta expectativa dos agentes da cultura da região. A mestre da cultura e brincante Zulene Galdino, ficou feliz com o espaço e projetou apresentações que atraiam centenas de pessoas.

“Nós já estávamos precisando, afinal, o Crato é a ‘capital da cultura’ e ela vem se acabando, principalmente a tradição popular. Com ela, além de ser encontro de mestres e brincantes, vai incentivar os nossos artesãos”.

Secretário de Cultura de Crato, Amadeu de Freitas enxerga ganhos para todo o Cariri. “Temos clareza que é um equipamento para a região, apesar de feliz por estar no Crato”, ressalva. Porém, imagina diversas oportunidades geradas pelo equipamento: “circulação de espetáculos, oficinas, exposições, mas, sobretudo, a valorização das formações que vão enriquecer e qualificar os profissionais da região”, avalia o gestor.

A principal preocupação é sobre a gestão. O ator, cantor e produtor cultural João do Crato espera que haja uma transparência neste processo e que valorize os profissionais da região. “Temos pessoas competentes e que entendem o Cariri”, justifica.

Outra ponderação é que a cultura popular da tradição seja contemplada, mas que descentralize para outras cidades para além do chamado triângulo Crajubar — Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha. “Um trabalho de extensão para todos os rincões da região e oportunizar que essa cultura sobreviva”, pede João.

A Secult informa ainda que no caso do Centro Cultural do Cariri — quarto equipamento cultural implantado pelo Estado e segundo no Sul do Ceará — estuda-se uma parceria com uma organização social para a gestão do equipamento em parceria com a pasta. Um seminário para debater o tema deve acontecer, mas ainda não tem data fechada.

[ Mais notícias ]