Voltar ao topo

23 de julho de 2024

Governo Federal autoriza primeiros concursos públicos do 3º governo Lula

Até o momento, dois concursos já foram anunciados, sendo um para o Ministério das Relações Exteriores (MRE) e outro para o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI)
Foto: Reprodução/Agência Brasil

Compartilhar:

Os primeiros concursos públicos do 3° mandato do presidente Lula (PT)  estão autorizados pelo Governo Federal. Até o momento, dois concursos já foram anunciados, sendo um para o Ministério das Relações Exteriores (MRE), e, o mais recente, para o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Com prazo para publicação do edital de abertura em até seis meses, o concurso do MCTI foi divulgado pelo Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços (MGI) nesta segunda-feira, 10, em portaria no Diário Oficial da União. Ao todo, 814 vagas estarão disponíveis e serão divididas entre três cargos: 296 para analista em ciência e tecnologia, 253 para pesquisador e 265 para tecnologista. Para todas elas, a escolaridade exigida é nível superior.

O primeiro concurso público federal autorizado na gestão 2023 do governo Lula foi anunciado no dia 3 de março, também por meio da Portaria n° 440, no Diário Oficial da União. Nesta ocasião, o Ministério das Relações Exteriores (MRE), ofereceu 30 vagas para o cargo de terceiro-secretário da carreira da diplomacia, exigindo nível superior completo em qualquer área.

Realizado em três fases eliminatórias, o processo seletivo será desempenhado pelo Instituto Rio Branco, responsável pela seleção e treinamento dos diplomatas brasileiros, que trabalharão no Itamaraty, sede do MRE. A primeira fase será uma prova objetiva composta de questões de português, história do Brasil e mundial, geografia, política e língua estrangeira, economia e direito. Na segunda fase, os concurseiros realizarão uma prova escrita de língua portuguesa e inglesa. Para finalizar, a terceira fase consistirá em uma prova escrita com questões do mesmo teor da primeira fase.

Conforme a portaria, após a publicação das regras do edital, o prazo para aplicar a primeira prova é de dois meses, devido à necessidade de que a data de conclusão do concurso seja compatível com o planejamento de atividades do Instituto Rio Branco em 2023. A nomeação dos selecionados dependerá de disponibilidade orçamentária por parte da Secretaria de Orçamento Federal, do Ministério do Planejamento.

NOMEAÇÃO 

Além dos concursos supracitados, o MGI também autorizou a nomeação de 40 candidatos a especialistas em recursos minerais já aprovados em concurso público para a Agência Nacional de Mineração (ANM), do Ministério de Minas e Energia (MME), realizado em 2021.

Conforme o edital do certame, as 40 vagas estão distribuídas entre Belo Horizonte, Belém, Brasília, Cuiabá, Salvador e São Paulo. Os futuros servidores devem receber a remuneração bruta no valor de R$ 9.909,30, para uma jornada de 40 horas semanais.

PREVISÃO

Na semana passada, a ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, informou que o governo anunciaria até 10 de abril o primeiro bloco de concursos públicos autorizados para administração federal. Ela destacou a previsão no orçamento deste ano para realização dos concursos, os quais irão priorizar os órgãos com maior déficit de pessoal.  

Além disso, Esther assegurou que até o fim do ano devem ser anunciados três blocos de concursos públicos para recomposição de pessoal. Todas as autorizações de concursos e nomeações, no âmbito do Executivo Federal, estão disponíveis na página do Ministério da Economia para consulta pública.

[ Mais notícias ]