Voltar ao topo

17 de julho de 2024

Governador adota postura menos alarmante no caso André Fernandes

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Compartilhar:

O governador Camilo Santana (PT) resolveu adotar uma postura menos alarmante em relação ao episódio relatado pelo deputado estadual bolsonarista André Fernandes, no Interior do Estado. O parlamentar diz ter sofrido um atentado e teve o carro no qual estava, em uma estrada no município de Solonópole, alvejado por cerca de sete disparos de arma de fogo.

André Fernandes e o assessor que o acompanhava não tiveram ferimentos, conforme relatado pelo próprio deputado. O deputado federal e nome cotado como pré-candidato da oposição ao Governo do Ceará, Capitão Wagner (Pros), em palanque com Bolsonaro durante evento em Jati, utilizou-se do exemplo para criticar Camilo Santana e a política de segurança pública empregada no Estado.

Horas após o ocorrido, o governador determinou “rigorosa investigação” do caso do parlamentar. Pelas redes sociais, o chefe do Executivo cearense afirmou ter conversado com o secretário da Segurança Pública do Estado, Sandro Caron, para tratar sobre o ocorrido. Na mesma postagem, contudo, o gestor citou outros “episódios de violência” de forte repercussão que ocorreram recentemente no Ceará.

“Falei com nosso secretário da Segurança, Sandro Caron, sobre alguns episódios de violência registrados nas últimas horas no Ceará, para o reforço que for necessário nas diligências e investigações, de forma com que haja respostas imediatas.”
“As mortes de quatro pessoas, com outras feridas, no Cariri, bem como do dono de um canal de notícias no bairro Pirambu, em Fortaleza, são inaceitáveis, e é preciso a imediata identificação e prisão de todos os envolvidos”, continuou.

Por fim, o governador afirmou ter determinado “rigorosa investigação no caso de tiros disparados contra o veículo do dep. André Fernandes, que era blindado, não chegando a ter vítimas feridas.” O presidente da Assembleia Legislativa do Ceará (ALCE), Evandro Leitão (PDT), realizou uma coletiva na tarde de ontem (8), para se solidarizar com o colega e colocar a segurança legislativa à disposição do parlamentar. Nas redes sociais, o deputado bolsonarista acusou o governador do Ceará, Camilo Santana, de “negar” o direito do parlamentar de ter seguranças, mesmo “com as inúmeras ameaças” que vem recebendo.

Durante a coletiva, no entanto, Evandro Leitão explicou o funcionamento da segurança na Casa envolvendo os deputados. “Nos colocamos inteiramente à disposição do deputado, inclusive com seguranças, como já havia acontecido em outras oportunidades. Só podemos dispor de policiais para os colegas parlamentares quando existe um caso mais específico, mais forte. Temos alguns policiais aqui, mas não podemos disponibilizar segurança para cada deputado.”

Questionando se André Fernandes teria aceitado, o presidente da Casa disse que o parlamentar ainda está abalado com o ocorrido e que voltará a conversar sobre o assunto. “Apenas nos colocamos à disposição e agora precisamos respeitar o momento. Num segundo instante voltaremos a conversar com ele sobre isso.”

COLEGAS DA ALCE 
Outros deputados estaduais presentes na coletiva se solidarizaram com o deputado estadual. “Um crime que será investigado e, em breve, teremos novas informações”, ressaltou Osmar Baquit (PDT). Leonardo Araújo (MDB) disse, por sua vez, que não interessa se o caso trata-se de uma tentativa de assalto ou um crime relacionado ao mandato do deputado estadual. “Foi um atentado contra um representante do povo e isso requer uma investigação efetiva com resultados e punição dos criminosos.”

 

Fonte: Rodrigo Rodrigues

[ Mais notícias ]