Voltar ao topo

18 de julho de 2024

Força e dinheiro que vêm da luz

O Brasil cruzou a fronteira de 29 gigawatts de potência instalada da fonte solar fotovoltaica; o Ceará tem participação efetiva nesse registro, e deve-se notar que tem engatilhado mais um projeto de dimensões amplas
Foto: Pixabay

Compartilhar:

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica anunciou na semana passada, com certas pompa e circunstância, que o Brasil cruzou a fronteira de 29 gigawatts de potência instalada da fonte solar fotovoltaica. A marca soma usinas de grande porte e sistemas de geração própria de energia em telhados, fachadas e pequenos terrenos, o equivalente a 13,1 % da matriz elétrica do País. O Ceará tem participação efetiva nesse registro, e deve-se notar que tem engatilhado mais um projeto de dimensões amplas – se tudo correr certo, demandará investimento chinês de R$ 1,8 bilhão no município de Mauriti, no Cariri. Segundo a Absolar, desde 2012 o Brasil já recebeu cerca de R$ 143,9 bilhões em novos investimentos desde 2012. Isso gerou, nas contas da entidade, mais de R$ 42,8 bilhões em arrecadação aos cofres públicos e gerou mais de 870 mil empregos. Com isso, também evitou a emissão de 36,8 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade. Não são números nada desprezíveis.

LUZ SOBRE A DISCUSSÃO

Observe-se que os R$ 143,9 bilhões captados em investimentos na geração por fonte solar não escolheram gestão. A onda começou no governo da presidenta Dilma Rousseff (PT), passaram pelo pós-golpe de Michel Temer, escaparam das trevas de Jair Bolsonaro e raiam agora na de Lula III.

FATO

Justiça sustenta – é o “arcabouço”, pode-se dizer – da convivência cidadã e da Democracia. A boa política vive em função da justiça. É o que se passa com o Legislativo, o Executivo e, claro, o Poder Judiciário. A cassação dos mandatos do ex-procurador e agora ex-deputado Deltan Dallagnol e da bancada do PL na Assembleia do Ceará são exemplares. A justiça não pode nem deve ser deformada. Não pode ser enganada. Quem tenta fazer isso sempre se dá mal. Estão aí as provas.

FIM DO VALE-TUDO

Processos como os de Dallagnol e dos bolsonaristas cearenses são uma depuração do ambiente político. Um modo de expurgar atitudes e práticas que, no mínimo, exigem condenação. É um sinal de que se pretende dar ponto final ao vale-tudo pelo poder que despreza regras e ética.

PELO SIM, PELO NÃO

Se de fato for instaurada, a CPMI dos Atos Antidemocráticos – que visaria a apurar o terror e o golpismo implantados por bolsonaristas em 8 de janeiro – pode ter só um parlamentar cearense. É o deputado André Fernandes (PL), celebrizado por um tutorial na Internet em que ensina a fazer depilação anal. Sério!

PELAS MÃES E PELAS CRIANÇAS

Amanhã, sexta, 19.5, é o Dia Internacional da Doação de Leite Humano. O gesto é simples e capaz de salvar muitas vidas. Por isso mesmo, deve ser divulgado e estimulado. O Hospital Infantil Albert Sabin, unidade pública do Estado, realiza por toda esta semana campanha de esclarecimento e incentivo à doação de leite materno.

DE TODA FORMA

O deputado Júlio César Costa Lima Filho (PT) apresentou projeto na Assembleia Legislativa que institui no Ceará o Dia de Luta Contra a Gordofobia – uma iniciativa contra o preconceito e a exclusão que vem ganhando força nos estados. A data definida no texto é 11 de maio – a mesma definida pela Câmara de Fortaleza, no ano passado, para o Dia Municipal.

MUITOS CANTOS

A Coluna do Roberto Maciel é publicada no portal InvestNordeste e no jornal OpiniãoCE. É disponibilizada também, incluindo edições anteriores, no site.

[ Mais notícias ]