Voltar ao topo

25 de julho de 2024

Escola pública do Ceará conquista 78% de notas acima de 900 na redação do Enem 2023

A EEEP Marta Maria Giffoni de Souza está localizada no município de Acaraú, no Litoral Norte cearense; 15 alunos chegaram a nota de 980 pontos
Foto: Divulgação/Governo do Ceará

Compartilhar:

A Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Marta Maria Giffoni de Souza, no município de Acaraú, 235 km distante de Fortaleza, teve 78% dos alunos acima da nota 900 na prova de Redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023. De um total de 164 estudantes do 3º ano na instituição de ensino, 129 ficaram a uma centena ou menos de 1.000, a nota máxima. 15 alunos alcançaram a marca de 980 pontos.

Além dos 15 que ficaram a 20 pontos da pontuação máxima, 33 alunos tiraram 960; 39 conseguiram 940; 30 alcançaram 920 pontos; 12 chegaram ao 900; 27 ficaram entre 800 e 899; e apenas 8 abaixo de 800. O bom resultado mostra o trabalho bem feito entre professores e alunos na escola localizada no Município do Litoral Norte cearense.

Um dos estudantes que alcançou o resultado superior a 900 pontos na redação foi Jancarlos Wendell Carvalho, de 18 anos, que obteve pontuação de 980. O jovem, que concluiu o curso técnico em Redes de Computadores, está se decidindo entre os cursos de Psicologia e Publicidade e Propaganda para a Universidade. “Desde o princípio”, conforme Jancarlos, ele entende a importância de ter uma boa escrita. “Sempre gostei muito de redação, e sabia que ela poderia me abrir portas”, disse.

“Tive bastante auxílio da escola, que fez movimentos como círculos de leitura, debates, entre outras ações criadas para nos instigar e estimular a nossa criticidade, de forma que soubéssemos nos posicionar. Logo depois, como numa ‘escadinha’, novas competências foram trabalhadas, como a estruturação da redação nos moldes do Enem, o cuidado com a gramática e a proposta de intervenção. As práticas eram semanais. Recebia muitos conselhos dos professores”, completou.

Ainda conforme Jancarlos, que se diz “apaixonado” pela leitura e pela escrita, a redação ajuda muito no dia a dia, pois “traz clareza para a comunicação”. “Mudando a vida não só por servir como entrada para a Universidade, mas também, por a gente poder aplicar o que aprendeu no cotidiano”, ressaltou. Como dica, o jovem destacou que quem não está acostumado com a leitura pode começar com livros pequenos sobre conteúdos do seu interesse pessoal.

Anna Álitta dos Santos, também de 18 anos, foi outra estudante que obteve os 980 pontos. Ex-aluna do curso técnico em Eletromecânica, a jovem, que também revela ter prazer no ato de escrever, aproveitava os momentos livres para treinar a redação. A estrutura e o apoio oferecidos pela escola foram um impulso. “Minha 1ª série foi bastante voltada para a leitura, através dos círculos feitos pela escola. Havia também o ‘Litera Giffoni’, que era o compartilhamento das leituras feitas pelos alunos. Destaco, também, o fortalecimento de repertórios. Na 2ª série, teve a intensificação do trabalho com a redação, quando a gente começou a produzir com as cinco competências”, afirmou ela, que pretende cursar Engenharia Elétrica na Universidade.

Foi um trabalho muito bem acompanhado pelos professores e gestão da escola. Realizei o Enem como treineira e consegui alcançar 920 pontos naquele ano”, lembrou.

Já no 3º ano, conforme Álitta, a preparação foi mais focada, contando com mais produções e acompanhamento de diversos professores. “Com a contribuição de todos, conseguimos esse mérito para a escola. Foram passados, semanalmente, temas de redação para produzirmos, com a análise de nossos erros e a correção. Também houve atividades extra-escolares que participei, como o Enem Mix, além de redações propostas pela Crede [Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação] 3, sendo que em uma delas, alcancei o 1000. Então, tudo contribuiu para eu conseguir esse mérito que tanto almejava”, relatou.

ACOMPANHAMENTO DOS PROFESSORES

De acordo com a professora Josiane Costa, que leciona Língua Portuguesa e Redação na escola, o laboratório de redação teve um papel fundamental para que a instituição alcançasse o resultado. No entanto, ela apontou também que sem a leitura constante dos alunos, o resultado não seria possível. “É evidente que esse processo de orientação está atrelado à consolidação de muitas competências, pois algumas delas exigem uma vivência leitora bem fortalecida para a construção de repertório sociocultural, por exemplo”, pontuou.

O laboratório, segundo Josiane, se propõe a fazer oficinas semanais para orientação, escrita, reescrita e devolutiva do que está sendo produzido. O “apadrinhamento” dos professores aos alunos para as produções textuais semanais também tem destaque por parte da docente. “Felizmente, temos um quadro de alunos que escrevem muito, exigentes com sua própria produção e atentos à sua evolução pessoal. Essa demanda despertou a logística do ‘apadrinhamento’ por alguns profissionais, que se desdobram e orientam algum grupo de alunos.

“Esse trabalho é liderado pela gestão escolar, que se envolve de corpo e alma em todo o processo para obtenção desse resultado. E não posso deixar de ressaltar o trabalho das professoras de língua portuguesa, que de forma muito alinhada, conduzem a construção das competências em cada etapa do processo”, frisou.

A diretora da EEEP Marta Giffoni, Mirele Rodrigues, considerou o resultado alcançado como “o sonho de uma escola pública pautada na equidade”. O bom desempenho dos alunos, na visão da gestora, é consequência de uma proposta pedagógica construída coletivamente, além de um clima escolar favorável, em que o espírito de pertencimento à instituição é sentido tanto pelos profissionais, como pelos alunos e pais.

Segundo Mirele, os alunos não produzem sem que tenham um feedback. “Muitos dos nossos estudantes da 2ª série já fazem a prova como treineiros, para identificarem as dificuldades e assim poderem potencializar o aprendizado. É um conjunto de ações desenvolvidas de maneira comprometida e responsável, por toda a equipe da escola, não só pelos professores de Língua Portuguesa”, destacou. “Por exemplo, vemos educadores da área da Física fazendo devolutivas sobre redações. Tudo isso é muito bonito. Acredito que essa união é o diferencial”, concluiu.

ENEM 2023 E INSCRIÇÕES NO SISU

Após a divulgação das notas do Enem 2023, os candidatos começam a se preparar para o processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que se iniciou na última segunda-feira (22). Através do portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), os alunos poderão se inscrever nos cursos que desejam realizar no Ensino Superior até a próxima quinta-feira (25). Os resultados da primeira chamada serão divulgados no próximo dia 30 de janeiro.

[ Mais notícias ]