Voltar ao topo

14 de julho de 2024

Empresa criada pela Cagece vai gerar energia renovável

Conforme a Cagece, a meta inicial da nova SPE é a instalação de 10 usinas com potência de 1MWp (megawatt-pico), quantidade suficiente para atender a uma média de 540 residências, anualmente
Foto: Reprodução/Governo do Ceará/Deivysson Teixeira

Compartilhar:

Visando ampliar seus empreendimentos e promover cada vez mais a sustentabilidade, a Companhia de Água e Esgoto do Estado do Ceará (Cagece) está estabelecendo Sociedades de Propósito Específico (SPE). Neste primeiro semestre de 2023, nasce a Sane, terceira SPE da Companhia em parceria com a Goener Participações, empresa de energia limpa, acessível e sustentável.

Seu principal produto será a energia fotovoltaica, com a meta inicial de instalar 10 usinas, cada uma com potência de 1MWp (megawatt-pico), o que pode gerar aproximadamente 1,2GWh (gigawatts-hora) de energia anualmente, quantidade suficiente para atender a uma média de 540 residências, com usinas instaladas nas Estações de Tratamento de Esgoto (ETE).

Conforme o superintendente de Sustentabilidade da Cagece, Ronner Gondim, “a geração de energia pretendida diversificará e aumentará a parcela de energia renovável na matriz energética da Cagece, contribuindo também para fortalecer sua política ambiental e autonomia energética.” Além disso, conforme Gondim, essa medida “resultará em uma importante redução de custos, uma vez que as Companhias de Saneamento são grandes consumidores de energia”.

Segundo Kamille Sampaio, coordenadora de Negócios Sustentáveis da Cagece, os estudos do projeto demonstram que, com a instalação das primeiras 10 usinas, a Companhia poderá economizar até 30% dos gastos com energia elétrica. “Aguardamos a conclusão da análise dos projetos pela Enel. Após a aprovação, passaremos pelas fases de licenciamento ambiental, estudo e limpeza do terreno para iniciar a montagem das estruturas e dos painéis de energia fotovoltaica, prevista para o início de 2024”.

INVESTIMENTO

Para a instalação das 10 usinas, o investimento inicial, segundo a Sane, está estimado em cerca de R$ 58 milhões, sendo 15% custeados pela Cagece e 85% pela Goener. Com a expansão do negócio, a SPE deve se envolver no desenvolvimento de outras fontes de energia renovável. Além disso, a Cagece tem realizado parcerias com o setor privado para estabelecer SPEs. Em 2013, juntamente com a PB Construções, foi criada a Utilitas Industriais do Pecém (Utilitas Pecém). E em 2021, em colaboração com o Grupo Vicunha Têxtil, foi instituída a VSA.

A Utilitas Pecém está prospectando negócios no Complexo Portuário e Industrial do Pecém (Cipp), com foco nas demandas da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) e no futuro hub de hidrogênio a ser instalado no Complexo, localizado em São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Já a VSA visa instalar a Estação de Tratamento de Esgoto Industrial (Etei) em Horizonte, na Grande Fortaleza, para tratar os efluentes da empresa Vicunha e de outras indústrias da região.

Conforme a Cagece, neste mesmo local, será construída uma Estação Produtora de Água de Reúso (Epar) para abastecer Pacajus e Horizonte, também na Grande Fortaleza, reduzindo assim os impactos ambientais e aumentando a reserva hídrica da região.

[ Mais notícias ]