Voltar ao topo

25 de julho de 2024

Tasso diz ainda não haver “definição sobre futura aliança na sucessão estadual”

A declaração foi feita nesta quarta-feira, 20. Ainda no texto, o senador afirma acreditar "na abertura do diálogo".
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Compartilhar:

A principal liderança do PSDB no Ceará, o senador Tasso Jereissati, disse, nesta quarta-feira, 20, ainda não existir “definição sobre futura aliança na sucessão estadual” após o que seria o rompimento da parceria de 16 anos entre PT e PDT no Estado. Em declaração publicada em suas redes sociais, o tucano afirmou, ainda, ter “esperança de evitar o conflito e na abertura do diálogo”.

“Entendo que seja importante construir uma candidatura em torno de um projeto para o Ceará, que reúna desenvolvimento e combate à pobreza. Neste sentido, persisti na busca desse consenso de forma isenta. Ainda não existe definição sobre futura aliança na sucessão estadual, e tenho a esperança de evitar o conflito e na abertura do diálogo.”

Rompimento

Após escolha do PDT por Roberto Cláudio como cabeça de chapa para as eleições deste ano, no início da semana, o PT anunciou, em resolução, o encerramento da parceria com o então aliado. Como adiantado pelo OPINIÃO CE, o Partido dos Trabalhadores deve homologar nome ao Governo do Estado no sábado, 23Em nota enviada à reportagem, o deputado estadual Acrísio Sena afirmou que a sigla tentará conversando com outros partidos. “Faremos uma campanha dialogada, seguindo as diretrizes orientadas por Camilo e Lula.”

“Vamos, claro, debater respeitosamente com PP, PSDB, PV, PCdoB e MDB para deliberar qual a melhor alternativa para eleger Lula no 1º turno e fortalecer um nome realmente democrático”.

Na manhã desta quarta-feira, o ex-presidente estadual do PSDB, ex-senador Luiz Pontes, se posicionou, também pelas redes sociais. “Considero improvável qualquer tentativa de apoio a uma candidatura liderada pelo PT no Ceará”, disse. Apesar de reconhecer a autoridade do atual presidente do PSDB-CE, Chiquinho Feitosa, para construir diálogos em busca de alianças, Pontes destacou que são “históricas e profundas” as diferenças do PT. “Não consigo imaginar a possibilidade real de o PSDB sentar à mesa com o deputado José Guimarães para capitanear uma candidatura a governador e discutir projetos em comum de interesse do povo cearense”.

 

[ Mais notícias ]