Voltar ao topo

17 de julho de 2024

Dia dos Namorados deve movimentar R$ 210 milhões em Fortaleza

Segundo a pesquisa do IPDC, ligado ao Fecomércio, 41,1% dos consumidores vão às compras na data; em relação a 2022, a projeção mostra uma redução de 3,7%
Foto: Reprodução

Compartilhar:

Pesquisa sobre o Potencial de Consumo do Fortalezense para o Dia dos Namorados, celebrado no próximo dia 12 de junho, mostra que 41,1% dos consumidores vão às compras. Segundo o levantamento, o potencial de faturamento será de R$ 210 milhões, apenas com a aquisição de itens para presentes. Em relação a 2022, a projeção mostra uma redução de 3,7%, já que no ano em questão 46,8% dos consumidores compraram presentes no dia.

O levantamento é realizado pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio-CE). Conforme a entidade, a queda está ligada ao atual contexto econômico difícil, com o nível de endividamento elevado e o consequente comprometimento da capacidade financeira das pessoas. Segundo a Federação, outro fator que influencia na intenção de compra é a instabilidade do mercado de trabalho. Os consumidores preferem adiar ou reduzir seus gastos e essa atitude de precaução contribui para a diminuição da demanda e, consequentemente, para a queda no faturamento projetado, especialmente em datas comemorativas.

PREDOMÍNIO NA INTENÇÃO DE COMPRA

O predomínio, na intenção de compras, é do sexo masculino (48,8%), do grupo com idade entre 21 e 35 anos (48,2%) e do estrato com renda mínima mensal entre cinco e dez salários-mínimos (62,2%)Uma parcela significativa dos consumidores (46,7%) pretende comemorar a data, gerando impacto para o setor de serviços, principalmente em restaurantes (31,1%), barracas de praia e clubes (17,7%) e cinemas (5,1%).

GASTO MÉDIO

Em média, o consumidor vai gastar, R$ 290 em compras de presentes, sendo o grupo dos consumidores do sexo masculino o que possui o maior gasto médio (R$ 331). Dos homens, aqueles com idade acima de 36 anos (R$ 306) e com renda média mensal familiar entre cinco e dez salários-mínimos (R$ 326) se destacam em relação aos maiores valores médios a serem gastos no dia. Em relação à forma de pagamento, há predomínio da intenção de pagamento à vista (56,3%) seguido do uso do cartão de crédito (43,6%).

Acerca da intenção de compra, há concentração nos chamados bens de consumo semiduráveis, com destaque aos produtos de uso pessoal:

  • Itens de vestuário e acessórios (30,4%);
  • Perfumaria e cosméticos (21,9%);
  • Bombons, chocolates e trufas (10,8%);
  • Sapatos, cintos e bolsas (10,0%);
  • Flores (9,2%).

COMÉRCIO ELETRÔNICO

Citado por 11,8% dos entrevistados, o comércio eletrônico deve ser utilizado para a compra de calçados, artigos de vestuário, livros, cosméticos e itens de perfumaria. Com predominância do grupo do sexo masculino (13,6% de intenção de compra pelos canais digitais), o perfil do consumidor desse tipo também conta com o estrato de idade até 20 anos (15,4%) e com renda familiar mensal acima de dez salários mínimos (33,4%).

Quanto aos locais de compra, os Shopping Centers foram os mais citados (50,1%), seguidos de Centros Comerciais (19,1%) e Lojas de Rua (17%). A maior parte dos consumidores não possuem data específica para as compras (46,4%), mas parcela expressiva da movimentação poderá ser observada nos últimos dias da semana, como no sábado (32,1%), domingo (10,2%) e sexta-feira (8,7%).

[ Mais notícias ]