Voltar ao topo

17 de julho de 2024

Delegacia da Casa da Mulher Cearense, no Cariri, amplia horário

Compartilhar:

A Casa da Mulher Cearense Arlete de Souza Negrão ampliou ao final da semana passada os serviços da Delegacia de Defesa da Mulher, que agora atende 24 horas, em regime de plantão

Secretária Onélia Santana (Foto: Divulgação)

Nestes dois primeiros meses, de março até abril, o equipamento coordenado pela Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS) já atendeu 445 mulheres em situação de violência e vem se tornando uma referência na Rede de Enfrentamento a Violência Contra a Mulher, na Região do Cariri.

A titular da SPS, Onélia Santana, visitou o equipamento quando esteve na Região do Cariri, na última semana. “Mulheres da Região do Cariri, a Casa da Mulher Cearense é de vocês. Está aberta para acolher, receber, ouvir, compreender e fazer os encaminhamentos necessários. Se você está passando por violência psicológica, violência física ou qualquer tipo de violência, lá tem todos os serviços, com atendimento humanizado e realizado por mulheres que foram capacitadas para atendê-las com todos os cuidados necessários”, disse a gestora.

“Eu peço a todos que divulguem o serviço da Casa Mulher Cearense. As mulheres precisam conhecer que há esse serviço especializado”, destacou a secretária. Para a coordenadora da Casa da Mulher Cearense, Mara Guedes, o funcionamento 24 horas da Casa é também uma conquista dos movimentos sociais.

O espaço conta com Delegacia da Mulher, Tribunal de Justiça, Atendimento Psicossocial, Ministério Público, Defensoria Pública, Brinquedoteca. A Delegacia de Defesa da Mulher de Juazeiro do Norte está funcionando na Casa da Mulher Cearense. Segundo a delegada titular da Delegacia de Defesa da Mulher, Suerda Bezerra, a DDM é uma unidade da Polícia Civil para prevenção, proteção e investigação dos crimes de violência doméstica familiar, violência sexual, entre outros.

“Nós registramos boletins de ocorrência, fazemos requerimento de medidas protetiva. Nós acompanhamos a vítima ao Instituto Médico Legal para fazer os exames, lavramos o flagrante, instauramos os inquéritos por portaria. Nós também acompanhamos a vítima e seus dependentes para abrigo, em local seguro, quando houver risco de vida”, reforçou.

A Casa da Mulher Cearense também oferta cursos de capacitação, a fim de trabalhar a autonomia econômica das mulheres. Estão abertas inscrições na própria CMC, no setor de autonomia econômica, para o curso de designer de sobrancelhas, que iniciará turma de 20 pessoas a partir de 20 de maio.

[ Mais notícias ]