Voltar ao topo

16 de julho de 2024

De Assis diz estar sendo processado por André Fernandes e rebate parlamentar: ‘não tenho medo’

O deputado De Assis Diniz fez questão de frisar todos os fatos recentes e polêmicos que envolvem o deputado André Fernandes, destacando sua “longa e triste lista” de condutas irresponsáveis
Foto: Reprodução/Alece

Compartilhar:

Durante sessão plenária da Assembleia Legislativa do Ceará (Alece) desta terça-feira, 11, o deputado De Assis Diniz (PT) ocupou a tribuna para relatar que está enfrentando um processo movido pelo deputado federal André Fernandes (PL) devido, segundo ele, ao conteúdo de um pronunciamento realizado na Casa. De Assis rebateu as acusações do parlamentar apresentando matérias publicadas na imprensa, cujos episódios contradizem André Fernandes, que é filho do deputado estadual Pastor Alcides Fernandes (PL).

“Pode me processar, que não tenho medo. Não abrirei mão dos meus princípios. Mas é necessário que haja o respeito no debate político. Não temos o direito de fazer uso inadequado e indevido dos nossos mandatos. A imunidade parlamentar não pode ser usada indevidamente. Nunca precisei de carteira de deputado para organizar a classe trabalhadora”, disse.

Recentemente, o pai de André, o Pastor Alcides, em dado momento dos pronunciamentos na Casa, no fim de julho, fez uma comparação com o momento de festas juninas e o PT. “Eu quero dizer que o mês da quadrilha está acabando, mas a quadrilha do PT no Estado do Ceará ainda está continuando, e vai continuar”, afirmou, na ocasião. O petista, por sua vez, rebateu: “Portanto, não só eu, mas o PT e qualquer filiado que tenha se sentido agredido será orientado a entrar com processo judicial contra o deputado Alcides Fernandes, de modo a interpelá-lo judicialmente a provar o que disse e, claro, sofrer as punições cabíveis”.


Em discurso na tribuna, De Assis também lembrou acusações de André Fernandes, ainda quando deputado estadual, em 2022, contra o ex-deputado Nezinho Farias (PDT) de ter envolvimento com facções criminosas, acusação similar também sofrida pelo deputado Osmar Baquit (PDT) – em ambos os casos, não houve apresentação de provas. De Assis lembrou também da acusação contra o ex-titular da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), Dr. Cabeto, de “promover o falseamento de atestados de óbito de modo a elevar os casos de covid-19”. Fernandes chegou a ser levado para o Conselho de Ética da Assembleia por quebra de decoro.

[ Mais notícias ]