Voltar ao topo

23 de julho de 2024

Cresce busca por título faltando cerca de 15 dias para fim do prazo

Compartilhar:

Roraima, Rondônia e Amapá foram as unidades da federação com menor quantidade de pessoas entre 15 e 18 anos que buscaram a Justiça Eleitoral para tirar o primeiro título

Priscila Baima
priscila.baima@opiniaoce.com.br

Em Fortaleza, TRE vai fazer uma força-tarefa para emitir novos títulos de eleitor. Atendimento vai acontecer até 4 de maio (Foto: Natinho Rodrigues)

Dia 4 de maio chegando, e jovens de 15 a 18 anos de todo Brasil estão correndo contra o tempo para regularizem o título eleitoral para as eleições de 2022. A movimentação registrou recorde de mais de 1 milhão de novos títulos. É o que revelou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), depois de divulgar a menor adesão desses adolescentes no alistamento eleitoral em 30 anos.

Segundo dados da Justiça Eleitoral (JE), o número de alistamentos eleitorais realizados nos três primeiros meses de 2022 cresceu em relação às duas últimas eleições gerais no país. De janeiro e março deste ano, o Brasil ganhou 1.144.481 novos eleitores na faixa etária de 15 a 18 anos. Já nos pleitos de 2018 e 2014, foram emitidos 877.082 e 854.838 novos títulos, respectivamente.

No Ceará, de janeiro a março deste ano, o número de adolescentes de 16 e 17 com títulos regularizados é de 142.712. Já entre jovens de 18 a 20 anos, o TSE registrou, no estado e no mesmo período, 917.421 novos eleitores. Os dados foram retirados no portal oficial do tribunal (www.tse.jus.br/eleitor).

Os estados mais engajados na campanha do TSE foram São Paulo, Minas Gerais e Bahia. Roraima, Rondônia e Amapá foram as unidades da federação com a menor quantidade de pessoas entre 15 e 18 anos que buscaram a Justiça Eleitoral para tirar o primeiro título.

TRE VAI AMPLIAR ATENDIMENTO PRESENCIAL
Para quem precisa regularizar a situação eleitoral em Fortaleza, o Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE) vai ampliar o atendimento presencial, entre os dias 25 de abril e 4 de maio. Os eleitores que precisarem de atendimento presencial nesse período precisa agendar para o Centro de Eventos do Ceará, no site do TRE ou pelo Disque Eleitor 148.

O local vai funcionar das 8 às 14 horas com 80 guichês, somente para agendados. Nesse período, a Central de Atendimento ao Eleitor na Praia de Iracema vai estar fechada. O atendimento pelo Sistema Título Net segue ativo e por meio dele é possível, remotamente, realizar as mesmas operações: tirar o título pela primeira vez (alistamento), transferir o domicílio eleitoral, alterar dados cadastrais, regularizar sua situação, consultar a situação e emitir multas.

ARTISTAS E REDES SOCIAIS TÊM INFLUÊNCIA
As novas emissões de título acontecem em meio a uma campanha de mobilização promovida pela Justiça Eleitoral também nas redes sociais e que contou a colaboração de celebridades nacionais e internacionais. Tudo começou com um tuitaço no dia 16 de março incentivado pelo TSE, ganhando adesão especialmente de pessoas contra o Governo Federal.

À época, segundo o tribunal, apenas 10% dos jovens entre 15 e 17 anos que estarão aptos a votar em outubro de 2022 estavam com seus títulos de eleitor regularizados. Celebridades como Anitta, Bruna Marquezine, Zeca Pagodinho, Whindersson Nunes, Juliette e o ator norte-americano Mark Ruffalo (“Vingadores”) participaram do chamamento em suas redes sociais.

Anitta, por exemplo, incentivou o registro do título de eleitor por parte de seus fãs por meio de sua conta no Twitter. “Então, agora é isso, me pediu foto quando me encontrou em algum lugar? Se for maior de 16, eu só tiro a foto se tiver foto do título de eleitor.” Em 2018, ano das últimas eleições presidenciais, esse número era de 1,4 milhão de pessoas em fevereiro. Em 2022, apenas 830 mil indivíduos da faixa etária tiraram o documento no mesmo mês.

POSICIONAMENTO
Parte da classe artística brasileira tem se rebelado publicamente contra o governo de Bolsonaro (PL), principalmente com a pandemia da covid-19 junto ao negacionismo no que diz respeito à vacina e uso de máscara. O executivo federal já sofreu diversas críticas virtuais nas redes sociais de famosos, como as de Anitta, Xuxa, Juliette e Ivete Sangalo. Em março deste ano, os cantores Emicida, Jão e Pablo Vittar foram alguns dos artistas que se posicionaram politicamente contra o governo Bolsonaro no festival Lollapalooza.

[ Mais notícias ]