Voltar ao topo

17 de julho de 2024

CPI da Manipulação no Futebol ouve presidente do BC sobre regulação de apostas esportivas

A audiência foi solicitada pelo deputado federal fluminense Aureo Ribeiro (Solidariedade). Ela será presidida pelo deputado piauiense Julio Arcoverde (PP) e tem como relator o deputado pernambucano Felipe Carreras (PSB)
Foto: Reprodução/Agência Brasil/Fernando Torres/CBF

Compartilhar:

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Manipulação no Futebol, da Câmara dos Deputados, em Brasília, realiza nesta terça-feira, 27, às 14h30, audiência para ouvir o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e os secretários da Receita Federal, Robson Barreirinhas; do Consumidor, Wadih Damous; e do Ministério da Fazenda, José Franciso Manssur. A audiência foi solicitada pelo deputado federal fluminense Aureo Ribeiro (Solidariedade). Ela será presidida pelo deputado piauiense Julio Arcoverde (PP) e tem como relator o deputado pernambucano Felipe Carreras (PSB).

Em sua solicitação, Aureo menciona uma reportagem da Folha de São Paulo, que segundo o parlamentar, revela que “dados do Banco Central mostram que, no primeiro trimestre do ano, foram enviados U$ 2,7 bilhões (R$ 13,4 bilhões pela cotação atual) para o exterior em apostas esportivas”. Ele ressalta que a reportagem destaca também que “pouco mais de U$ 1,7 bilhão (R$ 8,5 bilhões) retornou ao Brasil como pagamento de prêmios aos vencedores”.

O deputado pretende questionar o secretário da Receita Federal, Robson Barreirinhas, sobre a legalidade das empresas de apostas que movimentam bilhões de reais e enviam esses recursos para outros países. “Essas empresas, inclusive, atuam patrocinando quase todos os clubes das séries A e B do campeonato brasileiro de futebol”. Já o secretário Nacional do Consumidor, Wadih Damous, será questionado sobre as medidas adotadas pelo órgão para proteger os consumidores.

José Franciso Manssur, secretário Especial do Ministério da Fazenda, responsável pela elaboração das diretrizes para as apostas no Brasil, deverá ser questionado sobre as incertezas relacionadas a esse setor e aos jogos de azar oferecidos por essas plataformas. “É necessário questionar quais medidas serão tomadas para evitar impactos negativos no cenário esportivo nacional, entre outros aspectos relacionados à legalidade das plataformas que operam no país”, afirmou Áureo Ribeiro.

A CPI da Manipulação do Futebol foi criada com base em investigações do Ministério Público de Goiás que levantaram suspeitas de manipulação de resultados em quatro jogos da série B. Os parlamentares acreditam que irregularidades semelhantes possam ter ocorrido em outras séries de jogos.

[ Mais notícias ]