Voltar ao topo

17 de julho de 2024

Com investimento de R$ 1 milhão, projeto visa acabar com lixão de Fortim

A implantação do espaço marcará o fim do "lixão" do município e tem como objetivo fazer a separação dos resíduos para dar a destinação correta
A transformação do lixo orggânico em adubo ajuda na produção de hortaliças sem afetar o meio ambiente Foto: Divulgação/Centec

Compartilhar:

A partir da assinatura da ordem de serviço para a construção da Central Municipal de Resíduos Sólidos (CMR), o Centro Vocacional Tecnológico (CVT) Fortim pretende expandir sua atuação em sustentabilidade e preservação do meio ambiente. É o que planeja a coordenadora da unidade, Tânia Santana. O CVT sediou a elaboração do projeto da CMR, que tem orçamento de R$ 1 milhão e deverá estar pronta em seis meses.

A implantação do espaço pretende marcar o fim do atual lixão do município e tem como objetivos, além de receber os resíduos sólidos, realizar a separação para dar a destinação correta e tratar o lixo orgânico com foco na compostagem e produção de adubo.

“Com a implantação da CMR, iremos fortalecer as parcerias para a implementação de um espaço para a coleta seletiva, recebendo da população materiais recicláveis e fazendo o reaproveitamento no próprio CVT, além de repassar o material já selecionado para a associação de catadores de Fortim”, explica Tânia Santana.

O CVT Fortim, em parceria com a Prefeitura daquela cidade, desenvolve projetos como aquaponia, que utiliza materiais recicláveis para o sistema de criação de peixes e cultivo de hortaliças, e a implantação do projeto farmácia viva, com plantas medicinais. Segundo Tânia Santana, foi iniciado também o cultivo de plantas ornamentais e frutíferas e, em seguida, será criada uma horta no espaço da unidade.

[ Mais notícias ]