Voltar ao topo

25 de julho de 2024

Com certificação, aprovados no CNU terão formações a distância e presenciais

A Enap destaca que o diferencial do Concurso Unificado é que, ao fim do curso presencial, os novos servidores nas cinco carreiras terão a certificação de pós-graduação emitida pela Enap. 
Foto: Joel Rodrigues/ Agência Brasil

Compartilhar:

A Escola Nacional de Administração Pública (Enap), vinculada ao Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), informou, nesta terça-feira (9), que vai oferecer o curso de formação obrigatório aos servidores que ingressarem na administração pública federal através do Concurso Público Nacional Unificado (CNU), marcado para ocorrer no dia 18 de agosto, em todo o país. Serão cursos em formato presencial ou a distância, sendo cinco carreiras com a obrigatoriedade de se realizar o curso presencial. 

“O projeto é nivelar conhecimentos basilares e fornecer uma formação sólida para que o serviço público possa contar com especialistas nas áreas de conhecimento de suas carreiras. A formação sólida de servidores é sinal de valorização do serviço público”, destacou a diretora de Educação Executiva da Enap, Iara Alves.

No caso de cursos a distância, a carga horária será de 280h. Com a novidade, pela primeira vez, os candidatos convocados terão concluído a formação a distância durante os primeiros 36 meses de exercício do cargo. Conforme o edital, divulgado na semana passada, os candidatos aprovados serão convocados a tomar posse e ingressar nos cursos em janeiro de 2025. 

“A escola está preparando os cursos para os novos servidores. Então, teremos cursos para todo mundo que vai entrar, essa é uma novidade”, destacou a ministra de Gestão e da Inovação, Esther Dweck. 

FORMAÇÃO PRESENCIAL

O ministério informou que cinco carreiras vão exigir as formações presenciais da Enap, que conta com carga horária que variam de 360 horas a 580 horas. São as carreiras de especialista em políticas públicas e gestão governamental; analista de infraestrutura; analista de tecnologia da informação; analista de comércio exterior; e técnico em políticas sociais. Conforme o edital, esse curso em formato presencial valerá como terceira etapa do concurso após as provas escritas e de apresentação de títulos, como diplomas de conclusão do ensino superior, mestrado ou doutorado (stricto sensu).

A Enap destaca que o diferencial do Concurso Unificado é que, ao fim do curso presencial, os novos servidores nas cinco carreiras terão a certificação de pós-graduação emitida pela Enap. 

“O concurso exige, no mínimo, curso superior. Muitos entram até mesmo com mestrado e doutorado em diversas áreas. Ao final de todas as etapas do concurso, os servidores aprovados, não só terão a vaga na carreira de sua opção, mas também um certificado de especialização na área que irão atuar”. disse a diretora de Educação Executiva da Enap, Iara Alves

[ Mais notícias ]