Voltar ao topo

24 de julho de 2024

Cirurgias realizadas no Ceará têm aumento de 43% em 2023, afirma Elmano

Quantidade de pessoas e tempo de espera nas filas, ainda, é um desafio para o Estado
Foto: Reprodução/@elmanofreitas

Compartilhar:

Em 2023, o número de cirurgias realizadas no Ceará aumentou 43% em comparação a 2022. O resultado foi divulgado pelo governador Elmano de Freitas (PT) em publicação nas redes sociais, na manhã desta terça-feira (26). Entretanto, a quantidade de pessoas e tempo de espera nas filas dos hospitais ainda é um desafio para o Estado. Atualmente, conforme dados do IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Ceará, a fila é de 17.061 procedimentos.

“Trabalhamos arduamente e finalizamos o ano com aumento de 43% da quantidade de cirurgias realizadas em 2023, em comparação ao ano passado. Foram mais de 63 mil procedimentos feitos até o momento”, destacou Elmano.

Dados do IntegraSUS atualizados até esta terça-feira (26) apontam que o Ceará realizou 63.895 cirurgia neste ano. Além disso, 33.784 pacientes não foram localizados e/ou não necessitam mais de cirurgia. Fortaleza é o município cearense com maior número de procedimentos realizados: 17.059. Na sequência aparecem Maracanaú (2.908), Juazeiro do Norte (2.018), Sobral (1.663), Caucaia (1.487), Crato (1.388) e São Gonçalo do Amarante (1.034).

META

Em setembro deste ano, o então governador em exercício, Evandro Leitão (PT), anunciou uma nova meta do programa de cirurgias eletivas no Ceará. “No dia 31 de janeiro de 2023 foram aquelas cirurgias que não haviam sido realizadas, quase 68 mil. Em 10 de abril, o governador Elmano lançou o programada de redução da fila de cirurgias, onde iremos zerar esses procedimentos”, disse Evandro, na ocasião. Naquele momento, o Estado já havia realizado 38 mil procedimentos cirúrgicos. O investimento inicial no programa estadual foi de quase R$ 170 milhões, sendo R$ 143 milhões do tesouro estadual e R$ 27 milhões do Governo Federal.

Clínicas, hospitais polo, hospitais municipais (em convênio com o Governo do Estado) e outros equipamentos de saúde se inscreveram por meio de chamamento público. As especialidades contempladas são: oftalmologia, ortopedia, otorrinolaringologia, cirurgia geral, gastroenterologia, ginecologia, urologia, nefrologia, neurologia e vascular.

[ Mais notícias ]