Voltar ao topo

18 de julho de 2024

Ceará registra, em cinco meses, mais acidentes com gases dos últimos três anos

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará, já foram atendidas 876 ocorrências com gases no ano
Foto: Marcos Studart/Governo do Ceará

Compartilhar:

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE), já foram atendidas 876 ocorrências com gases em 2023. O número corresponde aos resultados dos cinco primeiros meses do ano, e é superior aos anos de 2021 e 2022 no mesmo período, quando foram atendidas 831 e 754 ocorrências, respectivamente. Ainda conforme o balanço, o ano passado teve 2.118 ocorrências com gases atendidas pela corporação, número superior aos anos de 2021 (1.624), 2020 (1.957) e 2019 (2.092).

Os gases mais comuns neste tipo de ocorrência são o gás natural, carbônico, nobre, combustível, metano e butano.

O gás de cozinha, o Gás Liquefeito de Petróleo ou Gás Líquido Pressurizado (GLP), é composto, basicamente, pelos gases propano e butano com adição de um composto de enxofre para dar o cheiro que serve como aviso. No botijão de gás de 13kg, cerca de 85% do gás está em estado líquido. Por este motivo, nunca se deve deitar o botijão de gás, pois se este for expelido, pode ocasionar em acidentes sérios

Quando este gás vaza para o ambiente ocorre o que é chamado de vaporização, a transformação física do estado líquido para o estado gasoso. Entretanto, é iniciada uma troca de calor no ambiente, que, como consequência, esfria a superfície do botijão, condensando o vapor d’água presente no ar e dando a impressão de que o botijão está transpirando. Estes fenômenos são perigosos e podem ensejar uma explosão ambiental caso haja uma fonte de calor próximo a este vazamento.

RECOMENDAÇÕES

Portanto, é recomendado que se realize a troca do registro e da mangueira de gás após cinco anos de uso, para evitar possíveis vazamentos e riscos de acidentes. Além disso, na aquisição do botijão de gás, é importante verificar se ele apresenta amassados, ou pontos de ferrugem, pois estes indicam a possibilidade de vazamentos estruturais.

[ Mais notícias ]