Voltar ao topo

18 de julho de 2024

Cid diz não estar rompido com Ciro e que “questão familiar se resolve dentro de casa”

A declaração foi dada durante o programa Conexão Assembleia, da rádio FM Assembleia (96,7MHz), nesta segunda-feira, 8
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Compartilhar:

O senador cearense Cid Gomes (PDT) descartou, apesar de reconhecer divergências, estar rompimento com o irmão, Ciro Gomes (PDT), e reforçou que aguarda o momento para debater o assunto com o ex-ministro, de forma reservada. “Questão familiar se resolve dentro de casa e aguardo pacientemente a oportunidade de discutir o assunto com meu irmão. Procuro fazer tudo com senso de humildade, resignação, mas sem renunciar ao principal, que é o melhor para o Ceará”, disse o senador.

A declaração foi dada durante o programa Conexão Assembleia, da rádio FM Assembleia (96,7MHz), nesta segunda-feira, 8. À jornalista Kézya Diniz, Cid falou sobre as divergência com o irmão acerca das eleições de 2022. O pleito selou o rompimento entre PDT e PT no Ceará. Cid apoiava o nome da então governadora Izolda Cela, ex-quadro do PDT, já Ciro ficou ao lado do ex-prefeito Roberto Cláudio.

“Para mim, Izolda era um excelente quadro para os próximos quatro anos e nos daria possibilidade de trabalhar também seu sucessor, pois é natural a fila andar e formar lideranças para o futuro é muito importante. Andamos no Ceará em 2021 colocando quatro nomes excelentes e eles tiveram a liberdade de escolher”, pontuou. Ainda na conversa, Cid disse que Ciro continua sendo a pessoa mais preparada para governar o Brasil. “Porém, a população entrou numa disputa passional, onde se votava em um para não votar no outro, e não buscando as melhores propostas”.

PREFEITURA DE FORTALEZA

Durante a entrevista, o senador voltou a descartar a possibilidade de sair do PDT, afirmando que acatará a indicação do partido seja qual for o nome escolhido para a candidatura à Prefeitura de Fortaleza nas próximas eleições. O atual presidente do diretório municipal, Roberto Cláudio, já sinalizou apoio a José Sarto, provável candidato à reeleição. Um outro núcleo do partido, no qual Cid se encontra, é mais propenso a uma nova aliança com o PT. O senador pontuou, no entanto, ainda ser cedo para qualquer leitura do cenário, uma vez que possíveis candidaturas podem ser fragilizadas com o surgimento de novos nomes.

Sobre Sarto, Cid disse que o prefeito errou em não apoiar Camilo Santana para o Senado e que deveria buscar uma boa relação com o governador Elmano de Freitas (PT).

“Acho que o foco do Sarto nesse momento não deve ser na reeleição, e sim na administração. Roberto Cláudio é independente, pode conduzir essa relação da forma que achar melhor. Mas Sarto não deveria seguir nessa estratégia. É contraproducente. Falo com um incomodo grande, pois gosto muito do Sarto e sei que Fortaleza não ganha nada com isso”, avaliou.

Cid Gomes aproveitou para sair em defesa de Sarto em relação à cobrança da taxa do lixo. O parlamentar destacou que o tributo é uma exigência do novo marco legal do saneamento, inclusive exigido em decreto aprovado pelo presidente Lula (PT), não sendo correto crucificar Sarto por isso. “Se o Sarto não cobrasse essa taxa, poderia ser acusado de improbidade administrativa. Sarto não deve ser criticado por isso, pois é uma imposição e necessidade. Que se discuta sobre o valor, mas a taxa é necessária”, justificou.

[ Mais notícias ]