Voltar ao topo

23 de julho de 2024

Ceará tem a maior fatia de financiamento do BNB a MPEs do Nordeste

Compartilhar:

Ceará teve aumento de mais de 80% de contratações em operações de crédito por micro e pequenas empresas pelo FNE, do Banco do Nordeste do Nordeste, no primeiro trimestre de 2022

Priscila Baima
priscila.baima@opiniaoce.com.br

Foto: Natinho Rodrigues

O Ceará teve aumento de mais de 80% de contratações em operações de crédito por micro e pequenas empresas (MPEs) pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), do Banco do Nordeste (BNB), no primeiro trimestre de 2022.

A alta é comparada ao mesmo período do ano passado, e o dado representa um total de R$ 519, 1 milhões para o Ceará, ou seja, 42,3% de todo o fundo para toda a região Nordeste.

Segundo Livio Tonyatt, superintendente estadual do BNB, esse aumento tem relação direta com a retomada da economia. “Os investimentos que estavam sendo represados voltaram a acontecer e operações de capital de giro, que são necessárias para as empresas, voltaram a funcionar bem.”

De acordo com o superintendente, os setores de Comércio e Serviços foram os dois segmentos que mais contrataram. “São financiamentos para segmentos que mais empregam no estado do Ceará, ou seja, a expectativa para a retomada do emprego também é boa”, complementa Tonyatt.

A movimentação econômica na microeconomia, ainda segundo o especialista, vai ser mais forte “porque o BNB apoia exatamente as empresas que estão na base, como padarias, restaurantes e lanchonetes. O Ceará tem o maior volume de negócios, acima da Bahia e Pernambuco, ou seja, o Ceará tem o maior financiamento do Nordeste.” Em relação à Região, os valores contratados pelo Banco do Nordeste em operações de crédito no primeiro trimestre de 2022 subiram 17% em relação ao mesmo período de 2021.

O balanço do período mostra que foram mais de R$ 8,7 bilhões financiados. Outro segmento com grande crescimento foi o rural, que inclui os pequenos produtores. Somente o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) contratou R$ 1,13 bilhão. Alta de 30% em relação ao exercício anterior.

FUNDO CONSTITUCIONAL DO NORDESTE
O FNE foi criado pela Constituição Federal de 1988 e regulamentado por lei, para ser uma fonte estável de recursos para o financiamento das atividades produtivas, para estudantes abrangidos pelo Programa de Financiamento Estudantil (P-FIES) e para pessoas físicas, mini e microgeradoras de energia fotovoltaica, em condições apropriadas para a promoção do desenvolvimento econômico e social.

Atualmente, o FNE atende a 2.074 municípios situados nos nove estados que compõem a região Nordeste e no Norte dos estados do Espírito Santo e de Minas Gerais, incluindo os Vales do Jequitinhonha e do Mucuri, contemplando com acesso ao crédito os segmentos empresariais de microempreendedores individuais, produtores, empresas, associações e cooperativas.

Provido de recursos federais, o FNE financia investimentos de longo prazo e, complementarmente, capital de giro ou custeio. Abrangendo os diversos setores da economia, como o agropecuário, industrial, agroindustrial, turismo, comércio, serviços, cultural, infraestrutura, dentre outros.

ABERTURA DE MPES
No primeiro trimestre de 2022, a Junta Comercial do Estado do Ceará registrou crescimento no número de abertura de empresas no Estado. Em comparação com o último trimestre de 2021, o índice apresentou aumento de 18%, passando de 24.167 entre outubro e dezembro, para 28.615 entre janeiro e março de 2022.

Quando analisado o primeiro trimestre de 2021, que apresentou 29.223 constituições, houve ligeira queda com redução de 2%. As informações são do Governo do Estado.

O montante engloba empresas nas atividades econômicas de Comércio, Indústria e Serviços em todas as categorias jurídicas: Microempreendedor Individual (MEI), Sociedades Limitadas (LTDA), Empresas de Pequeno Porte (EPP), Microempresa (ME), Cooperativas, entre outros.

Entre janeiro e março deste ano, o segmento que mais consolidou empreendimentos no Sistema de Registro Mercantil foi o de Serviços, totalizando 16.647 registros, seguido pelo Comércio com 9.341 e pela Indústria com 2.627.

Dentre as atividades econômicas mais escolhidas, o comércio varejista ocupa as primeiras posições. Somadas as dez atividades econômicas com maior quantidade de registros de empresas, o número de novos negócios no comércio varejista chega a 9.431, representando 32% do volume total de aberturas.

No Ceará, os investimentos privados foram direcionados principalmente para a venda de vestuários e acessórios (2.968), de cosméticos e perfumaria (2070), de bebidas (1793) e de produtos alimentícios (1.437). Ainda no setor de serviços, foram criadas 1.366 lanchonetes, 1.253 salões de beleza e 1.231 restaurantes.

[ Mais notícias ]