Voltar ao topo

24 de julho de 2024

Ceará tem 81,13% do seu território sem seca relativa, melhor cenário desde 2014

As condições atuais se dão, principalmente, pelas chuvas dos meses de março e abril.
Foto: Divulgação/Cogerh

Compartilhar:

Faltando poucos dias para o fim da quadra chuvosa no Ceará, que ocorre de fevereiro a maio, o Estado volta a apresentar uma importante marca: está com 81,13% do seu território sem seca relativa. O número representa o melhor cenário desde o início da série histórica da ferramenta, em julho de 2014. Até então, o mês com situação mais positiva havia sido maio de 2020, quando o Ceará apresentou 79,18% da sua área sem seca relativa. A informação consta no mais recente Monitor de Secas, referente ao mês de abril, divulgado nesta quinta-feira, 19.

Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), as condições atuais se dão, principalmente, pelas chuvas dos meses de março e abril, que colaboraram para redução dos índices de estiagem no Estado. No panorama atual, 18,87% do território apresenta seca fraca, sendo este percentual concentrado na porção central e oeste do Estado, onde está situada a macrorregião do Sertão Central e Inhamuns.

“O Mapa do mês de abril retrara as precipitações que ocorreram em 2021 e também nos primeiros meses de 2022. Ele retrata, principalmente, as precipitações acima da normalidade”, explica o pesquisador da Funceme, Francisco Vasconcelos Junior. De acordo com a Fundação, as precipitações de março ficaram 30,6% acima da média e, no último mês, dentro da normalidade. Considerando a quadra chuvosa de 2022, que segue até o fim do mês, as precipitações encontram-se em torno da normal climatológica.

Imagem: Divulgação

Na avaliação do pesquisador da Funceme, no entanto, a situação hídrica do Ceará segue em estado de atenção. “Estamos no último mês da estação chuvosa, o que ainda pode atenuar essa área [no Sertão Central e Inhamuns]. Contudo, são esperadas condições dentro da normalidade para a próxima estação, em junho e julho, o que não deve modificar muito o Mapa de impacto das condições de seca sobre o Ceará”.

Reserva Hídrica

Segundo balanço do Portal Hidrológico da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), o Ceará rem 37 dos 157 reservatórios monitorados sangrando. Outros 11 encontram-se acima dos 90% da capacidade, mas ainda não ultrapassaram suas respectivas lâminas. Ainda conforme a Cogerh, um total de 57 reservatórios estão com volume abaixo dos 30%. A reserva hídrica total é de 35,5%, percentual 16,9% inferior ao observado em igual período de 2021 (18,6%), o que reflete os bons volumes recebidos ao longo da quadra chuvosa. O Castanhão, maior açude para múltiplos usos do Estado, apresenta 22,80% da sua capacidade total.

Os dados foram coletados às 11h50 desta sexta-feira, 20.

[ Mais notícias ]