Voltar ao topo

23 de julho de 2024

Ceará segue para o meio da semana com previsão de chuvas

Compartilhar:

Previsão de hoje e amanhã é de que o cenário se mantenha com céu variando de nublado a parcialmente nublado com chuva isolada na faixa litorânea e Ibiapaba e no Maciço de Baturité

Giovana Brito
Especial para OPINIÃO CE
giovana.brito@opiniaoce.com.br

Chuvas ocorrem em todo Estado (Foto: Maciel Bezerra/Funceme)

O mês de abril iniciou no Interior do Estado com pancadas de chuva. A previsão destas quarta-feira, 6, e quinta-feira, 7, é de que o cenário se mantenha com céu variando de nublado a parcialmente nublado com chuva isolada na faixa litorânea, na Ibiapaba e no Maciço de Baturité. Segundo Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), a previsão é de alta possibilidade de chuvas isoladas nas demais macrorregiões.

No Cariri, mais ao sul do Ceará, há alta possibilidade de chuva de forma isolada, principalmente à noite e madrugada. As chuvas decorrem de áreas de instabilidade oriundas das zonas de convergência intertropical. Os dados foram divulgados pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

Entre as 7 horas de segunda-feira, 4, e 7 horas desta terça-feira, 5, a Funceme registrou chuva em mais de 86 municípios em todo Estado. Os maiores registros foram em Ibiapaba, Ipaporanga com 94 milímetros e seguido de Ipueiras com 92 milímetros.

Em Fortaleza, chove desde o dia 3 de março. No último dia de março foi registrado o maior acumulado para o mês considerando a série histórica desde 1973, ano de criação da Funceme. Conforme o balanço parcial, o observado mensal foi de 638,4 milímetros, superando os 617,4 mm de março de 1986.

Além do recorde histórico, as chuvas da Capital representam ainda o maior acumulado entre os 184 municípios cearenses. Logo atrás vêm Granjeiro e Várzea Alegre, ambos no Cariri, com 551,7 e 551,5 milímetros, respectivamente.

As precipitações em Fortaleza ficaram ainda acima da normal climatológica, com um desvio de 97%. Tal cenário foi permitido devido, em maior parte, à proximidade da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), que é o principal sistema indutor de chuvas no Ceará nesta época do ano.

Em relação aos açudes no Ceará, 22 estão sangrando e 29 estão acima de 90%. Dentre os açudes que estão sangrando estão Acaraú Mirim em Massapê, São Vicente em Santana do Acaraú, Sobral homônimo do município e Caldeirões em Saboeiro.

Em Fortaleza, o Açude Cocó sangrou no último fim de semana. Com isso, a rede de açudes cearenses passa a 30,04% da capacidade total, com 5,63 bilhões de m³ de água acumulados. A capacidade máxima é de 18,5 bilhões de m³.

[ Mais notícias ]