Voltar ao topo

24 de julho de 2024

Ceará finaliza quadra chuvosa de 2023 com o maior volume hídrico em 10 anos

43 açudes estão sangrando no Estado, 11 deles localizados na Bacia Hidrográfica Metropolitana
Foto: Divulgação/Cogerh

Compartilhar:

O Ceará finalizou a quadra chuvosa de 2023, encerrada nesta terça-feira, 31 de maio, com o melhor volume da última década, conforme dados levantados pelo OPINIÃO CE no portal hidrológico da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh). Conforme o balanço, os 157 açudes monitorados pelo Estado estão com 51% do volume da capacidade total. Ao total, 43 reservatórios estão sangrando. Em 2012, no último ano com maior volume, os reservatórios cearenses ficaram com 62,5% da capacidade total, mas apenas dois estavam sangrando.

Na série histórica dos últimos dez anos, apenas em 2023 o volume da água passou da metade da capacidade total. Os anos de 2022, 2020 e 2014, respectivamente, apresentaram volumes de 38,1%; 34,4%; e 30,5%. Os açudes do Castanhão, Orós e Banabuiú, os três maiores do Estado, há tempo não apresentam volumes tão bons em relação à quadra chuvosa deste ano.

O Castanhão, maior do Ceará com capacidade total de 6.700,000 hm³, fechou a quadra chuvosa com volume de 31,97%. A última vez que isso ocorreu foi em 29 de setembro de 2014, com 32%O açude Orós, com capacidade de 1.940,000 hm³, estava com um volume de 67,52% entre os dias 20 e 29 do último mês da quadra chuvosa. Em 2012, no dia 22 de outubro, foi a última vez em que o reservatório da Região Centro-Sul do Estado apresentou maior volume de água (67,61%).

Já o Banabuiú, terceiro maior reservatório do Ceará (capacidade de 1.534,000 hm³), apresentou 41,84%. A última grande recarga, com 41,9%, já completou mais de 10 anos, em 11 de março de 2013. Dos 43 reservatórios que estão sangrando, 11 deles estão localizados na Bacia Hidrográfica Metropolitana. Acaraú (5), Alto Jaguaribe (6), Banabuiú (5), Coreaú (5), Curu (2), Litoral (6), Médio Jaguaribe (2) e Salgado (1) são as demais Bacias Hidrográficas com vazão de açudes.

QUADRA CHUVOSA

Conforme dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), o Ceará registrou a média de 642.1 mm durante os quatro meses mais chuvosos no Estado – fevereiro a maio -, o que representa um desvio positivo de 6.9% em relação à normal tradicionalmente observada no período (600.7 mm). Os municípios de Jati (439.5 mm), Jardim (497.3 mm), Abaiara (501 mm), Mauriti (508.4 mm) e Brejo Santo (537.4 mm), todos da região do Cariri, registraram os maiores acumulados no intervalo.

Nesta quarta-feira, 1º, o Governo do Ceará realiza, às 10h, no Palácio da Abolição, coletiva de imprensa sobre o balanço da quadra chuvosa, com avaliação do aporte hídrico que o período proporcionou para o Ceará. A coletiva é conduzida por gestores do Sistema Hídrico do Estado, formado pela Secretaria dos Recursos Hídricos, Cogerh, Funceme e Sohidra.

[ Mais notícias ]