Voltar ao topo

23 de julho de 2024

Camilo Santana se emociona durante sua última Medalha da Abolição como governador

Compartilhar:

Cerimônia ocorreu na noite desta sexta e homenageou oito nomes do Ceará. Criador do Capacete Elmo foi apludido de pé pelos convidados

Priscila Baima
priscila.baima@opiniaoce.com.br

Foto: Divulgação

Uma noite calorosa marcou o momento da entrega da Medalha da Abolição, realizada na noite desta sexta-feira, 25 no Palácio da Abolição. Ao todo, oito personalidades e o projeto Capacete Elmo, desenvolvido durante a pandemia, foram agraciados com a Medalha da Abolição 2020-2022

A comenda foi entregue pelo governador Camilo Santana (PT) e pela vice-governadora Izolda Cela (PDT) a cada um dos homenageados. Emocionado ao falar de Cid Gomes, Camilo Santana (PT), em seu discurso, homenageou nominalmente, cada um dos agraciados presentes.

“Aqui, hoje, são oito homenageados, homens e mulheres que contribuíram para o nosso Ceará de uma forma relevante. Para mim é uma honra, no meu último ano de governo, homenagear pessoas de diversas áreas, da cultura, do social, da saúde.”

O criador do Capacete Elmo, o médico e professor Marcelo Alcântara, foi aplaudido de pé. “Essa medalha reforça nosso trabalho e ajuda a gente a trabalhar com mais amor ainda, mais motivação e para salvar vida. Foi um feito que congrega todos os setores sociais, de forma coletiva.”

No campo da indústria, foi homenageado Ricardo Cavalcante, há 34 anos na atividade e que preside, atualmente, a Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). Outro homenageado foi o ex-governador e atual senador Cid Gomes (PDT).

Agradecido pela medalha, Cid disse, sorridente, que a medalha é consequência do que ele fez pelo Estado e que deve muito mais ao povo cearense pelo reconhecimento. “Eu me sinto sempre devedor do povo cearense e muito mais credor de homenagem. Eu sou um devedor de homenagens, mas de alguma forma a medalha entrega e reflete o pioneirismo e a luz do nosso estado porque o Ceará e o cearense aboliram a escravidão antes do Brasil.”

No campo artístico, a honraria foi concedida a três representantes. O artesão e Mestre da Cultura Espedito Seleiro, da região do Cariri cearense; Preto Zezé, presidente da Central Única das Favelas (Cufa), empreendedor, produtor cultural e musical; e o humorista Tom Cavalcante, que enviou um vídeo agradecendo a honraria da Medalha da Abolição.

Também foram homenageadas três mulheres de diferentes áreas. Amandinha [Amanda Lyssa de Oliveira Crisóstomo], jogadora de futsal, tricampeã mundial com a Seleção Brasileira de Futebol, já foi eleita oito vezes a melhor jogadora do mundo na modalidade, a ex-procuradora-geral de Justiça, Maria do Perpétuo Socorro França Pinto, atual secretária de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos do Ceará.

A desembargadora Maria Nailde Pinheiro Nogueira, presidente do Tribunal de Justiça do Estado (TJCE), também homenageada, ficou emocionada com o reconhecimento do seu trabalho, sobretudo para as mulheres. “Consegui ao longo da minha vida conciliar a maternidade com a magistratura que não é fácil. Sempre me dediquei muito ao poder judiciário.

Para mim, é uma grande honra. Tudo isso vem como uma força de trabalho e, com certeza, continuaremos atentas à sociedade em busca da justiça com o olhar especial para aquelas mulheres que foram ou que estão sendo vítimas da violência. Pela igualdade social e pela igualdade de gênero.”

 

[ Mais notícias ]