Voltar ao topo

5 de dezembro de 2023

Rádio opinião

Após um mês de espera, 32 brasileiros cruzam a fronteira de Gaza com o Egito

Os brasileiros tiveram apoio do corpo diplomático, que garantiu recursos e alertou a localização do grupo às autoridades israelenses para evitar ataques militares nas áreas
Os brasileiros chegam ao Egito após 37 dias de espera. Foto: Reprodução/ Redes Sociais

Compartilhar:

Depois de um mês de agonia, o grupo de 32 brasileiros que aguardavam repatriação em Gaza conseguiu cruzar a fronteira com o Egito, pelo Portal de Rafah. Eles fizeram a passagem no início da manhã deste domingo (12), de acordo com postagem do Itamaraty na rede social X (antigo twitter) às 05h41. De Rafah, os brasileiros farão um trajeto rodoviário de seis horas até o Cairo, onde dormem esta noite.

A aeronave VC2 (Embraer 190), da Presidência da República, aguarda o grupo na capital egípcia para iniciar o 10° voo de repatriação de brasileiros desde o início da crise no Oriente Médio. A decolagem está prevista para a manhã desta segunda-feira (13). Desde o início das negociações, o grupo era formado por 34 pessoas, porém duas mulheres do grupo, mãe e filha, que constavam da lista original desistiram da repatriação e decidiram permanecer em Gaza.

Para o sucesso do resgate, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o corpo diplomático se envolveram diretamente nas negociações com as autoridades israelenses, palestinas e egípcias. Na chegada dos repatriados ao Brasil, o Governo Federal tem uma operação de acolhimento preparada, que vai oferecer serviços de abrigo, documentação, alimentação, apoio psicológico, cuidados médicos e imunização.

“Os brasileiros já atravessaram a fronteira e se encontram no Egito, de onde virão, em segurança, para o Brasil, na Operação Voltando em Paz”, postou o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em uma rede social na manhã deste domingo.

O secretário nacional de Justiça, do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), Augusto de Arruda Botelho, informou que alguns repatriados têm familiares no Brasil, enquanto outros serão acolhidos em um local no interior de São Paulo, disponibilizado pelo Governo Federal.

Durante o período em Gaza, os brasileiros receberam apoio diário do corpo diplomático, que garantiu recursos essenciais e alertou a localização do grupo às autoridades israelenses, na tentativa de evitar ataques militares nas áreas. Ainda assim, prédios próximos aos abrigos chegaram a ser bombardeados, inclusive na manhã deste domingo, de acordo com relatos dos brasileiros que deixaram a Faixa de Gaza.

Com informações da Agência Brasil.

[ Mais notícias ]