Voltar ao topo

21 de julho de 2024

Audiência Pública da AL-CE vai debater educação indígena com povo o Tremembé

O encontro acontece nesta sexta-feira, 3, na Escola Indígena Tremembé Maria Venância, na praia de Almofala.
Foto: Divulgação/Governo do Estado

Compartilhar:

A Assembleia Legislativa do Ceará vai realizar, nesta sexta-feira, 3, às 14h, uma audiência pública para debater a educação indígena no Estado, tendo por foco a experiência do Povo Tremembé. O encontro, que atende solicitação do vice-presidente da Comissão Educação da Casa, deputado estadual Acrísio Sena (PT), ocorrerá na Escola Indígena Tremembé Maria Venância, na praia de Almofala, no município de Itarema.

“Existe a necessidade de fortalecimento e avanço da Educação Diferenciada Indígena no Ceará. A experiência exitosa do povo Tremembé precisa ser socializada, para conhecermos os desafios de seu desenvolvimento, considerando suas peculiaridades e especificidades, de forma a consolidar as políticas públicas adequadas à realidade daquela população”, explica Acrísio.

Também no encontro serão debatidos temas como os desafios decorrentes das peculiaridades do conteúdo e técnicas de aprendizagem, suporte da tecnologia e valorização dos profissionais da educação indígena.

Acrísio também destaca ações da Escola Alegria do Mar, de Almofala, como primeira experiência diferenciada para o povo indígena, com 30 anos de estrada, além do Curso Magistério Indígena Tremembé para Nível Médio e o Curso de Magistério Indígena Superior. “A busca por índices compatíveis no âmbito da educação indígena constitui uma vertente que evidenciará o alcance da educação como um todo, consolidando lutas como a construção das bases da educação indígena diferenciada, a criação do cargo de professor indígena, a renovação dos contratos temporários, entre outras demandas que servem de fundamento para a realização da referida audiência pública”.

Recentemente, o Governo do Estado anunciou o primeiro concurso público para a seleção de professores efetivos de escolas indígenas da rede pública estadual. Ao todo, serão abertas 200 vagas, que irão contemplar 13 etnias. O certame contará com três etapas: prova escrita, aula e avaliação de títulos. O anúncio foi feito pela governadora Izolda Cela, no último dia 17 de maio.

[ Mais notícias ]