Voltar ao topo

24 de julho de 2024

Alívio Hídrico

Compartilhar:

O governo do Ceará anunciou, neste mês, o fim da tarifa de contingência de água. Desde 2015, o excesso do consumo é sobretaxado como forma de reduzir o uso, pesando no bolso, em função das sucessivas crises hídricas no Estado. A redução é muito bem-vinda, considerando um contexto de alta dos preços da energia, do gás, combustíveis de maneira geral e até do valor do metro cúbico da água, que sofre aumentos sucessivos ano a ano.

Pelos céus e pelas orações de cada cearense, saímos de uma situação de 6% para mais de 35% da média preenchida dos nossos reservatórios, cabendo agora não apenas a cada um como também ao próprio governo produzir melhores práticas para conduzir da melhor forma possível nosso bem mais precioso. Mais de 4 milhoões de pessoas em mais de 360 mil residências serão beneficiadas.

O interessante é notar é que uma decisão que tem por objetivo rever a proposta de preço para o mercado é capaz de gerar uma série de efetios positivos, incluindo os em âmbitos sociais e econômicos. Não se trata de uma medida eleitoreira, como alguns podem pensar. O governo do Estado, em 2020, teve uma melhora significativa dos açudes mas manteve a tarifação para a região metropolitana de Fortaleza. Apesar disso, vale lembrar, que a folga de um lado seve para cobrir o buraco de outro.

Estamos enfrentando uma inflação praticamente em descontrole, chegando à casa dos dois dígitos, e, por isso, o impacto no bolso dos consumidores vai parecer imperceptível.

[ Mais notícias ]