Voltar ao topo

16 de julho de 2024

Açudes que abastecem a Região Metropolitana de Fortaleza ultrapassam 90% da capacidade

A previsão, conforme a Secretaria dos Recursos Hídricos (SRH) é que até o final de maio, os outros açudes cheguem a 100% de suas reservas
Foto: Reprodução/SRH

Compartilhar:

Os açudes que abastecem a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), Pacoti, Pacajus, Riachão, Gavião e Aracoiaba já atingiram um volume geral de 91,18%, o que possibilita uma autonomia no abastecimento da RMF sem a necessidade de transferir águas do açude Castanhão. Dos cinco açudes, o Pacajus e Aracoiaba já atingiram sua capacidade máxima. A previsão, conforme a Secretaria dos Recursos Hídricos (SRH) é que até o final de maio, os outros açudes cheguem a 100% de suas reservas.

Dentre os açudes que abastecem a RMF, o Pacoti se encontra com 84,7% do seu volume, o Riachão com 84,60% e Gavião com 87,12%. Os bons volumes de água alcançados na quadra chuvosa no Ceará, que segue até o fim de maio, é o responsável pela melhora na reserva dos açudes.

O secretário da SRH, Robério Monteiro, comemora o cenário mais confortável no abastecimento da RMF. “Em relação à garantia para o abastecimento humano, podemos tranquilizar a população, pois os aportes foram significativos e as reservas nos conforta a trabalhar em segurança. Mas é importante ressaltar que o Ceará é um estado semiárido, onde o cenário natural é de seca. Então, devemos usar o nosso recurso com parcimônia e responsabilidade visando os anos seguintes”.

Robério ressalta ainda que algumas regiões do Estado, como a Bacia do Banabuiú e o Sertão Central, tiveram aportes significativos, porém, a situação ainda requer atenção. “A gestão hídrica do Ceará, através do Grupo de Contingência, vai seguir monitorando todas as regiões para que se mantenha a segurança hídrica necessária para a população”.

RESERVA DO CEARÁ

Segundo a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), que monitora os 157 açudes estratégicos do Estado, o Ceará tem atualmente um abastecimento de 49,2% de recarga, com 55 reservatórios sangrando. Outras 19 barragens estão acima dos 90%. Em igual período de 2022, o abastecimento geral era de 35,3%, com 34 reservatórios sangrando e 8 acima dos 90%. Para a RMF, o cenário de 2022 também foi favorável e os açudes Pacoti, Pacajus, Riachão, Gavião e Aracoiaba conseguiram atingir suas capacidades máximas.

Com o registro de 100% da capacidade de armazenamento permitiu a revogação do Ato Declaratório que inseria a Região na condição de escassez hídrica.

Atualmente, os municípios que compõem a RMF (Fortaleza, Pacajus, Horizonte, Chorozinho, Eusébio, Maracanaú e Caucaia) dependem diretamente do sistema de abastecimento de água da RMF, sendo essa a região com maior concentração populacional no Estado.

CASTANHÃO

No último dia 17 de abril, o açude Castanhão, maior reservatório do Ceará e maior açude para múltiplos usos da América Latina, ultrapassou os 30% de sua capacidade, o melhor volume desde 20 de outubro de 2014. Atualmente, está com 31,14%. A barragem tem capacidade para acumular 6,7 bilhões m³ de água. Nos últimos anos, o açude amargou o volume crítico, chegando a apenas 2,08% em fevereiro de 2020, por exemplo. No início deste ano, o volume era de 19,95%. Quando necessário, o Castanhão auxilia no abastecimento hídrico da Região Metropolitana de Fortaleza, o que não acontece desde 2021.

[ Mais notícias ]