Voltar ao topo

12 de julho de 2024

Ação moralizadora do Ministério Público impede prefeituras de contratar shows milionários

Compartilhar:

O cantor de música sertaneja, Gustavo Lima, acertou com uma prefeitura do Maranhão cachê de R$ 1,2 milhão, além do pagamento de jatinho, hospedagem, alimentação e transporte para 25 pessoas. A despesa representava 12% de toda a receita do município e os recursos sairiam dos cofres da educação, saúde e cultura. A apresentação teria duração de uma hora. O cantor não fez o show.

O Ministério Público interveio, foi à justiça e desmontou a farra com dinheiro público. Outros casos estão acontecendo pelo Brasil, onde o MP e o judiciário estão pondo ordem nessa farra com dinheiro do contribuinte. O mais grave: prefeitos e governadores utilizam dinheiro de áreas estratégicas e prioritárias da gestão, como educação e saúde, para promover as festas. Mesmo que, muitas vezes, os custos sejam estratosféricos. Será que um cantor precisa ficar rico, fazendo apenas meia dúzia de shows? Indagou um promotor de justiça que venceu a questão na justiça.

O São João é a grande festa do nordestino. Bandas regionais recebem miseráveis cachês para se apresentar e fazer o público dançar, porque conhecem o repertório que agrada ao público. Poderiam ser valorizadas e melhor remuneradas. O São João é para dançar, alegrar as pessoas, com as músicas de compositores da área do forró, que se tornaram famosas. O dinheiro farto e fácil está mudando o perfil dos festejos. Alguns artistas e defensores da cultura protestam, mas parece que ninguém dá ouvidos.

Luiz Gonzaga, Humberto Teixeira, Dominguinhos, Gilberto Gil, Elba Ramalho, são gigantes das canções juninas. Existem outros talentos. Alguns recebem cachês que não chegam a R$ 200 mil. Estão dentro da realidade. De parabéns, o Ministério Público e o Judiciário.

Luiz Gastão entrega comando da Fecomércio

O presidente da Fecomércio Ceará, Luiz Gastão, será candidato a deputado federal, pelo PSD. Ele passa o cargo nesta quinta-feira, 2, para seu vice, Cid Alves. Gastão retorna dia 3 de outubro. “Os setores do comércio, serviço e turismo terão representantes no Congresso Nacional”, disse.

Wagner e Bardawil debatem aliança

O deputado Capitão Wagner, pré-candidato ao governo pelo União Brasil, se reúne nesta quinta-feira, 2, com o empresário Alberto Bardawil, PL, pré-candidato ao Senado. “Vamos discutir uma aliança para unir forças”, comunicou Bardawill, nas redes sociais.

A arena política perde uma rosa

Nos últimos 40 anos, a arena política assistiu a luta da ex-vereadora Rosa da Fonseca, responsável por muitos avanços da educação pública. A história reconhecerá seu trabalho. Um câncer lhe tirou a vida, sua bravura a eternizará.

[ Mais notícias ]