Voltar ao topo

Volume de serviços cresce 4,0% no Ceará em março deste ano

DCIM101MEDIADJI_0085.JPG

Compartilhar:

No acumulado do ano, volume no Estado avançou 15,2%. Acumulado no último ano passou de 17,6% em fevereiro para 19,4% em março

Redação OPINIÃO CE
redacao@opiniaoce.com.br

Pesquisa é a mais recente do IBGE sobre serviços mensais (Foto: Natinho Rodrigues)

Em março de 2022, o volume de serviços no Ceará cresceu 4,0% frente a fevereiro, na série com ajuste sazonal. Em relação a março de 2021, o crescimento foi de 17,2%, sendo a 12ª taxa positiva consecutiva. No acumulado do ano, o volume de serviços no Estado avançou 15,2%.

O acumulado nos últimos doze meses passou de 17,6% em fevereiro para 19,4% em março de 2022. O dados são da mais recente Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), publicada pelo Instituto Brasileiro de Georgrafia e Estatística (IBGE). Na comparação com março de 2021, o volume do setor de serviços, ao avançar 17,2% em março de 2022, trouxe expansão em todas as cinco atividades.

Entre os setores, o de Serviços prestados às famílias foi o que registrou o crescimento mais significativo, com alta de 107,4%. Índices positivos também foram observados nas outras quatro categorias: outros serviços (31,4%); serviços de informação e comunicação (18,0%); serviços profissionais, administrativos e complementares (5,2%) e Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (4,5%).

Também no acumulado do primeiro trimestre de 2022 (15,2%), todas as cinco atividades apresentaram taxas positivas: Serviços prestados às famílias (50,6%); Outros serviços (26,7%); Serviços de informação e comunicação (19,7%); Serviços profissionais, administrativos e complementares (7,3%) e Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (3,9%).

TURISMO COM EXPANSÃO DE 5,3%
Em março de 2022, o índice de atividades turísticas apontou expansão de 5,3% frente ao mês imediatamente anterior. Na comparação março de 2022/março de 2021, o índice de atividades turísticas no Ceará apresentou crescimento de 109,6%.

A PMS produz indicadores que permitem acompanhar o comportamento conjuntural do setor de serviços no País, investigando a receita bruta de serviços nas empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas, que desempenham como principal atividade um serviço não financeiro, excluídas as áreas de saúde e educação. Há resultados para o Brasil e todas as unidades da Federação, os quais podem ser consultados no Sidra.

[ Mais notícias ]